Na Serra do Alvão, a vaca Maronesa combate as alterações climáticas

Na Serra do Alvão, a vaca Maronesa combate as alterações climáticas

A recomendação das Nações Unidas é clara: a redução das emissões de metano na agricultura é essencial no combate às alterações climáticas. Mas, com o crescimento contínuo da população, é expectável que a procura de proteína animal aumente 70% até 2050. Neste jogo de forças, uma solução pode estar nas explorações híper-extensivas como a que existe na Serra do Alvão, que alia produção de carne e conservação ambiental

Pode uma raça autóctone combater as alterações climáticas? Aparentemente, sim. Na serra do Alvão está a decorrer o projeto LIFE Maronesa, que aposta na raça de vacas maronesa como forma de fazer regredir o abandono das pastagens de montanha, essenciais para reduzir o risco de incêndio e aumentar a resiliência alimentar da agricultura. E se a manada de 120 animais que vive 365 dias por ano em liberdade numa área um pouco […]

Continue a ler este artigo no Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Marcelo destaca papel de MAI em matéria de prevenção e resposta
Próximo Homem morre em acidente com trator agrícola em Viseu

Artigos relacionados

Últimas

Ministra da Agricultura visita Pecnordeste para promover a carne nacional

O Presidente do Grupo AGROS, José Capela, acompanhado do Presidente da FENAPECUÁRIA, Idalino Leão, recebeu hoje, nas instalações da […]

Últimas

Em Silves há espaço e vontade para crescer num setor histórico para o município

Destacar e promover a citricultura que se faz no concelho são apenas dois dos propósitos da 3.ª Mostra Silves Capital da Laranja que decorre de 15 a 17 de fevereiro. […]

Nacional

Requalificação da mata do Congro é a homenagem necessária nos 200 anos de José do Canto

José do Canto foi um importante empresário e criador de paisagens açoriano. Uma das suas criações, a mata-jardim da lagoa do Congro, carece de requalificação. Governo dos Açores diz que a intervenção é um “desígnio” e irá avançar em […]