Município de Torres Vedras promove a realização de ações de fogo controlado

Município de Torres Vedras promove a realização de ações de fogo controlado

O Município de Torres Vedras voltou a promover a realização de ações de fogo controlado. As mesmas aconteceram no passado mês de maio (nos dias 21, 22, 26, 27 e 28) junto às localidades de Casais dos Arneiros (Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães) e Furadouro (União de Freguesias de Dois Portos e Runa), na Serra do Socorro (Freguesia do Turcifal) e na Quinta da Charneca (União de Freguesias de Dois Portos e Runa).

Participaram nestas ações, realizadas sob a responsabilidade e a coordenação de dois técnicos credenciados em fogo controlado, quatro elementos do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Torres Vedras, quatro elementos da equipa de sapadores florestais também da Câmara Municipal de Torres Vedras, três elementos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, dez elementos da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da Guarda Nacional Republicana e três elementos do Núcleo de Proteção Ambiental do Destacamento Territorial de Torres Vedras igualmente da Guarda Nacional Republicana.

Recorde-se que as ações de fogo controlado visam a queima de matos, com grande carga de combustível, de forma a reduzir o risco de incêndio junto a aglomerados populacionais e em povoamentos florestais, permitindo também a existência de zonas de oportunidade para o combate aos fogos, bem como o treino operacional dos agentes de proteção civil que nelas participam.

O fogo controlado enquanto ferramenta na gestão silvícola do território promove a compartimentação dos espaços florestais, através da criação de descontinuidade no coberto vegetal, em faixas ou mosaicos estrategicamente localizados, reduzindo desta forma a quantidade de combustível acumulado.

O uso do fogo controlado, para além de minimizar o risco de incêndio, serve as necessidades de diversos utilizadores do território, por meio, por exemplo, da promoção da renovação de pastagens, sendo que estas operações são também extremamente relevantes para fomentar o aumento da biodiversidade e para as espécies cinegéticas.

Conforme documentam inúmeros estudos científicos, o fogo controlado, sendo aplicado de forma tecnicamente correta, traz consigo bastantes benefícios para a floresta e ecossistemas respetivos.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Live-stream: Ciclo de conferências FORA DA CASCA: “Oportunidades para os frutos secos” - parte 1
Próximo Live-stream: Ciclo de conferências FORA DA CASCA: “Oportunidades para os frutos secos” - parte 2

Artigos relacionados

Notícias apoios

PCP quer apoios para produtores de bovinos de raças autóctones

O PCP alerta que a crise provocada pela pandemia “ameaça de ruína” os produtores desta raça, questionando a ministra da Agricultura sobre que […]

Sugeridas

NATURALFA organiza IV Jornadas Técnicas de Agricultura Biológica – 12 de novembro – Ermesinde

No seguimento das anteriores edições das Jornadas Técnicas de Agricultura Biológica da NATURALFA, que decorrem na Lipor, em Ermesinde, está a ser promovida a 4ª edição, […]

Dossiers

PS defende uma floresta não autóctone e quer pagar o sequestro de carbono

Quem plantar floresta vai poder ser pago pelo sequestro do carbono, mas o Partido Socialista quer espécies de árvores diferentes das tradicionais, […]