Ministro da Agricultura critica Universidade de Coimbra por retirar carne de vaca

Ministro da Agricultura critica Universidade de Coimbra por retirar carne de vaca

Capoulas Santos diz ser “amargo constatar” que a “centenária academia” foi permeável ao “populismo e à demagogia”.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, criticou nesta quinta-feira a decisão da Universidade de Coimbra de retirar das suas cantinas a carne de vaca

Sem nunca se referir à Universidade de Coimbra, Capoulas Santos escreveu na sua conta pessoal no Facebook: “Não deixa de ser amargo constatar que até as vetustas paredes da centenária academia são permeáveis ao populismo e à demagogia. Sete séculos depois o decreto ainda derrota a educação, que é a maior garantia da liberdade individual e, dentro desta, da liberdade de escolha informada.” O PÚBLICO confirmou com o seu gabinete que aquela conta no Facebook é sua.

As críticas de Capoulas Santos contrariam afirmações feitas na quarta-feira pelo ministro do Ambiente, Matos Fernandes, que elogiou a decisão da universidade. “Parece-me relevante que uma universidade, neste caso a de Coimbra, tudo faça com o objectivo de ser neutra em carbono em 2030. Esta é uma medida, obviamente outras terão que lhe seguir”, disse Matos Fernandes.

O CDS tinha desafiado o ministro da Agricultura a dizer se concorda com o elogio do seu colega do Ambiente à decisão da Universidade de Coimbra de retirar a carne de vaca dos menus das suas cantinas. Em declarações à agência Lusa, a deputada Patrícia Fonseca, eleita e de novo candidata do CDS por Santarém, afirmou que a decisão do reitor, anunciada na terça-feira, é “um atentado à liberdade de escolha e ao mundo rural”.

Diversas associações agrícolas de criação de gado bovino vieram a público criticar a decisão do reitor da Universidade de Coimbra.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Chamas consomem zona florestal em Loures
Próximo Oferta de emprego - Engenheiro Agrónomo - Promotor Técnico

Artigos relacionados

Nacional

Cem mandarinas três-sóis foram a leilão por um milhão de ienes. A covid não estragou o negócio

O valor de um milhão de ienes pode parecer exorbitante, mas mesmo que seja o equivalente a 8804 euros não é coisa pouca para vinte quilos de mandarinas japonesas. Os produtores receavam que a […]

Blogs

Mais conhecimento e proteção na Semana dos Polinizadores da UE

A Semana dos Polinizadores da União Europeia destacou a necessidade de aprofundar o conhecimento sobre os fatores que motivam o declínio destes organismos e de […]

Últimas

II Simpósio Ibérico de Engenharia Hortícola em Março de 2020

De 4 a 6 de Março de 2020, tem lugar em Refoios de Lima, Ponte de Lima, o II Simpósio Ibérico de Engenharia Hortícola (SIbEH2020). […]