Ministra da Agricultura saúda resiliência do setor em ano de pandemia

Ministra da Agricultura saúda resiliência do setor em ano de pandemia

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e o Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Rui Martinho, estiveram hoje na Comissão de Agricultura e Mar, na Assembleia da República, onde destacaram a importância do setor agrícola, perante uma pandemia sem precedentes a nível mundial. “Perante as dificuldades o setor agrícola e agroalimentar português não escapou a estas provações. Perante as dificuldades, não parou, adaptou-se e mostrou toda a sua capacidade e resiliência, garantindo alimentos frescos, seguros e saudáveis, nas mesas das nossas famílias”, afirmou Maria do Céu Antunes. Sublinhou ainda que o Ministério “esteve e está ao lado dos agricultores, produtores e empresários, acompanhando e monitorizando a situação no terreno. Foram atribuídos apoios para garantir tesouraria, previsibilidade e liquidez às empresas e produtores para prosseguirem o seu trabalho”.

Ao longo do ano de 2020 foram efetuados pagamentos ao sector agrícola e florestal no valor de 1582 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 168 milhões de euros face ao ano anterior.

A titular da pasta da Agricultura destacou a importância da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia e garantiu que trabalhará para concluir negociação da reforma da PAC, que é fundamental para a transição ambiental e digital, através da promoção de uma Agricultura mais verde e resiliente, que contribua para a autonomia estratégica da União Europeia e o desenvolvimento das zonas rurais.

Maria do Céu Antunes, revelou também alguns dos objetivos definidos para o setor:

  • Aposta no financiamento para reforçar a segurança, a qualidade e a sustentabilidade da nossa produção agrícola;
  • Valorizar a Agricultura Familiar e o desenvolvimento da Agricultura Biológica;
  • Potenciar a continuidade da execução do PDR2020, um instrumento fundamental para o setor;
  • Prosseguir o trabalho crucial desenvolvido com o Programa Nacional de Regadios;
  • Aumentar o trabalho de internacionalização, de forma a continuar o crescimento das exportações e do reconhecimento dos produtos portugueses;
  • Reforçar os meios dos organismos do Ministério da Agricultura, nomeadamente da Direção Geral de Alimentação e Veterinária, de forma a ter cada vez mais capacidade para assegurar a segurança dos alimentos e apoiar uma produção agrícola e pecuária sustentável, prosseguindo os objetivos do programa “One Health” das Nações Unidas;
  • Reprogramação do PDR2020 e decisões ao nível dos pagamentos diretos.

A Ministra da Agricultura realçou o papel da agricultura no combate ao abandono dos territórios, na sua gestão ativa e afirmou que o Governo está a trabalhar para que Portugal seja cada vez mais uma referência a nível global. Não só na qualidade dos produtos, mas também na forma como os produz. “Queremos uma agricultura mais atrativa, mais moderna, mais resiliente e cada vez mais sustentável, sem deixar ninguém para trás”.

Comente este artigo
Anterior Macedo de Cavaleiros regista melhor campanha de azeite de sempre
Próximo Qual será a disponibilidade a pagar pela água no Alentejo?

Artigos relacionados

Últimas

Inovação rural: desenvolvimento de soluções reais para áreas rurais inteligentes e resilientes na Europa

Quase um terço dos europeus vive em áreas rurais, que representam mais de três quartos da área total da União Europeia (UE). […]

Nacional

II Jornadas Técnicas de Fruticultura INIAV / Asfertglobal

As II Jornadas Técnicas de Fruticultura INIAV (Alcobaça) / Asfertglobal estão marcadas para o próximo dia 19 de junho, no auditório da Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade. […]

Nacional

BE insiste: é preciso parar de financiar o eucalipto

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, insiste que é preciso suspender o concurso de nove milhões de euros de fundos comunitários para financiar a plantação de eucaliptos. […]