Ministério da Agricultura reafirma disponibilidade para encontrar solução para o caso do cidadão Luís Dias

Ministério da Agricultura reafirma disponibilidade para encontrar solução para o caso do cidadão Luís Dias

O Ministério da Agricultura registou com agrado o fim da greve de fome levada a cabo pelo Senhor Luís Dias, a quem deseja as melhoras, e reafirma a sua total disponibilidade para tentar encontrar uma solução para este caso, dentro do necessário respeito pelo quadro legal nacional e europeu vigente.

Importa sublinhar que o Ministério da Agricultura tem feito tudo o que está ao seu alcance para ajudar o Senhor Luís Dias. O exemplo mais recente disto mesmo, aconteceu no passado dia 24 de maio, quando o Secretário de Estado da Agricultura e do  Desenvolvimento Rural se reuniu com o Senhor Luís Dias e lhe garantiu que o apoio para a reposição das estufas está aprovado e se encontra disponível para ser utilizado a qualquer momento, nas condições estabelecidas na regulamentação nacional e comunitária. Além disso, e na sequência dessa reunião, foi solicitado um inquérito à Inspeção Geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território (IGAMAOT), com vista ao esclarecimento cabal de todo o processo e clarificação da atuação dos serviços do Ministério da Agricultura.

Deve ressalvar-se que não estão em causa meras questões burocráticas, como se tem feito parecer, nem tão pouco de falta de humanismo. Tratam-se, sim, de questões que envolvem aspetos legais, nacionais e comunitários, os quais não podem, por mais boa vontade que exista, ser simplesmente ignorados.

De resto, esses aspetos legais foram já objeto de análise numa providência cautelar movida contra o Estado Português, que foi julgada improcedente pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa.

Encontrando-se ainda em curso, no mesmo tribunal, uma ação principal contra o Ministério da Agricultura, foi solicitado ao Ministério Público – representante legal do Estado nesse processo – que se pronuncie sobre a viabilidade, à luz da prossecução do interesse público, da negociação de um acordo que permita pôr termo ao litígio.

Comunicado enviado pelo Ministério da Agricultura.

Comente este artigo
Anterior “Somos capazes de efetuar alterações de modo semelhante ao que acontece na Natureza”
Próximo Álvaro Amaro alerta para a importância da caça em zonas protegidas

Artigos relacionados

Últimas

Oferta de emprego – Grower – Engenheiro Agrónomo – Grândola

Eurox Group is one of the leading independent European companies in the field of Cannabis-based Medicines and Products. […]

Nacional

Expresso da Manhã: O que se passa com o PAN?

O partido tem vindo a colecionar pequenas e grandes polémicas e, desta vez, a acusação de incoerência foi dirigida à porta-voz Inês Sousa Real. Com […]

Últimas

Primeira semana ibérica sobre espécies invasoras a partir de sábado com 130 ações

Entidades portuguesas e espanholas organizam a partir de sábado a primeira Semana Ibérica sobre Espécies Invasoras, para, através de mais de 130 ações, sensibilizar a população para a […]