Ministério da agricultura apresenta medidas para matas nacionais afetadas pelos incêndios

Ministério da agricultura apresenta medidas para matas nacionais afetadas pelos incêndios

O Governo acaba de apresentar um conjunto de medidas destinadas à recuperação das Matas Nacionais afetadas pelos incêndios. De acordo com um Despacho assinado pelo Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, o “valor eminente destas matas para um correto ordenamento do território e para a concretização das políticas florestal e da conservação da natureza” impõe um “programa de intervenção específico que assegure o efetivo restauro dos ecossistemas e o restabelecimento rápido das respetivas funções essenciais”.

Trata-se, na perspetiva do Ministério da Agricultura, de formações florestais de “especial importância ecológica e sensibilidade” para as quais importa, de acordo com a Lei de Bases da Política Florestal, a criação de condições para a sua recuperação.

O programa de intervenção específico passará, entre outros aspetos, por medidas de estabilização de emergência e de reabilitação dos ecossistemas, a curto e médio prazo, e por medidas de recuperação das áreas ardidas, a longo prazo. O programa deverá também definir os recursos públicos necessários, assim como um conjunto de projetos a candidatar a fundos comunitários para a recuperação destas matas. Um plano de corte que identifique as árvores que devem ser cortadas e as áreas que vão ser conservadas e a revisão dos Planos de Gestão Florestal destas áreas, são outros dos pontos que deverão ser contemplados neste programa específico.

O Despacho determina que o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, deverá no prazo de quatro meses:

1 – Elaborar um relatório das ocorrências de incêndios que afetaram as Matas Nacionais de Leiria, Pedrógão, Urso, Dunas de Quiaios, Dunas de Vagos, Covilhã e Margaraça, com avaliação rigorosa da execução dos Planos de Gestão Florestal em vigor, bem como dos acontecimentos ocorridos e danos no património florestal, natural e edificado.

2 – Apresentar um programa de intervenção para o conjunto das Matas Nacionais referidas no ponto anterior, que contemple entre outras as seguintes questões:

2.1Medidas de estabilização de emergência e de reabilitação dos ecossistemas a executar, no curto e médio prazo, nas áreas ardidas, nomeadamente:

  1. a) Prevenção de erosão e proteção dos recursos hídricos;
  2. b) Conservação e salvaguarda de espécies protegidas;
  3. c) Controlo e erradicação de espécies invasoras;
  4. d) Controlo fitossanitário;
  5. e) Recuperação de infraestruturas de gestão, rede viária e divisional.

2.2Medidas de recuperação de longo prazo para as matas afetadas pelos incêndios, nomeadamente:

  1. a) Avaliação dos modelos de silvicultura e de organização territorial a privilegiar, em articulação com a revisão em curso dos planos regionais de ordenamento florestal;
  2. b) Revisão dos Planos de Gestão Florestal (PGF) em vigor;
  3. c) Elaboração de um programa de rearborização e acompanhamento da regeneração natural nas áreas ardidas, a rever periodicamente em função da resposta dos ecossistemas e do disposto nos PGF;
  4. d) Planeamento e execução das Redes de Defesa da Floresta Contra Incêndios, em estreita articulação com os Planos Distritais e Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios e os respetivos PGF.

3 – Elaborar um plano de cortes para extração e valorização de salvados, com prioridade para a madeira de melhor qualidade.

4 – Proceder à revisão do Programa de Ação para a Produção de Materiais Florestais de Reprodução nos Viveiros Florestais do ICNF, com reforço da produção de espécies autóctones, incluindo o pinheiro-bravo.

5 – Apresentar um plano de financiamento, através das receitas obtidas na gestão das Matas Nacionais identificadas no ponto 1, bem como do conjunto de projetos a executar através de fundos comunitários, para a execução das ações referidas nos pontos anteriores.

Comente este artigo
Anterior Visita de campo - Programa de Melhoramento Genético do Pinheiro - Bravo” - 25 de Outubro - Salvaterra de Magos
Próximo Preço do azeite vai aumentar por causa dos incêndios

Artigos relacionados

Notícias cadeia alimentar

Sustentabilidade e agroecologia são a base dos novos sistemas alimentares

O sistema alimentar esteve em debate em julho no FISAS, em Idanha-a-Nova, onde representantes de 15 países, provenientes de quatro continentes, […]

Internacional

Flexibilidad del plazo de presentación de solicitudes de la PAC 2020


Ante la situación extraordinaria que estamos viviendo en España como consecuencia de la crisis sanitaria ocasionada por el COVID-19 y la declaración del estado de alarma en todo el territorio español decretado en el Real Decreto 463/2020, […]

Últimas

CONFAGRI contesta conteúdos sobre agricultura de aula da Telescola

A CONFAGRI manifestou junto do Ministro da Educação, Dr. Tiago Brandão Rodrigues, o seu repúdio pelos conteúdos transmitidos na emissão do dia 13 […]