Milhares de árvores do Marão à espera de serem apadrinhadas por avós e netos

Milhares de árvores do Marão à espera de serem apadrinhadas por avós e netos

Milhares de árvores na serra do Marão, em Amarante, estão disponíveis para serem apadrinhadas por avós e netos, na iniciativa “Bosque dos Avós”, que já permitiu a plantação de 1.600 exemplares, disse hoje fonte do projeto.

José Claudino Silva, um dos mentores do “Bosque dos Avós”, explicou à Lusa que os dois hectares do espaço gerido até ao momento, na localidade de Aboadela, já não podem crescer mais, mas em terrenos contíguos, de baldios, foram plantados recentemente milhares de exemplares que podem ser apadrinhados, seguindo o mesmo conceito.

Na prática, explicou, o “Bosque dos Avós”, entretanto transformado em associação, tem permitido aos avós plantar e apadrinhar uma ou mais árvores autóctones com o nome dos netos (atualmente são mais de 400), assumindo o compromisso de cuidar das plantas.

O conceito que tanto sucesso alcançou, sugeriu, pode ser replicado agora nos terrenos baldios contíguos de Aboadela, uma vez que quem gere aquelas parcelas já concordou com a ideia.

“Chegámos ao nosso limite e não vamos expandir mais. Contudo, com este outro projeto, que é da responsabilidade dos Baldios de Aboadela, existem milhares de novas árvores, nomeadamente carvalhos e bétulas, que poderiam beneficiar da mesma atenção que é dada às nossas”, explicou José Claudino Silva.

Anotou, ainda, que pode ser uma oportunidade para que, no futuro, se crie um “imenso espaço natural” que devolva ao Marão as suas espécies autóctones

O presidente do conselho diretivo dos Baldios de Aboadela indicou à Lusa que o espaço sugerido agora pelo projeto “Bosque dos Avós” tem cerca de 15 hectares e integra um projeto de reflorestação iniciado em 2019.

Álvaro Marinho disse ser “bem-vinda” a ideia de se poder apadrinhar árvores naquele espaço contíguo ao “Bosque dos Avós”.

“Estamos sempre abertos a projetos e ideias que visem a melhoria das condições deste território”, referiu, assinalando que naquela área se procedeu recentemente à reposição de várias plantas que morreram durante o verão.

O projeto “Bosque dos Avós” arrancou em 2018 com a plantação de 400 árvores, num terreno cedido pelo Conselho Diretivo dos Baldios de Aboadela, com apoio da União de Freguesias de Aboadela, Sanche e Várzea e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

O projeto foi crescendo até chegar às atuais 1.600 árvores e a inscrição de 460 avós, de vários pontos do mundo, que cuidam dos seus exemplares, usufruindo de um espaço que até já conta com um parque de merendas e outros equipamentos e apoio.

Comente este artigo
Anterior Nova imagem da Quinta da Alorna alia tradição à modernidade
Próximo Trezentos ninhos de vespa asiática eliminados em Arganil em 2020

Artigos relacionados

Sugeridas

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Janeiro de 2020

As previsões agrícolas, em 31 de dezembro, apontam para um aumento na produção de azeitona para azeite (+25%), que deverá ultrapassar […]

Comunicados

Presidente da CAP efetua primeiro donativo para o fundo COVID-19 da Cruz Vermelha e apela à generosidade dos portugueses

Por proposta do Presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Eduardo Oliveira e Sousa, dando resposta ao repto de solidariedade […]

Cotações PT

Cotações – Azeite e Azeitona – 29 de março a 4 de abril 2021

O INE estima uma diminuição significativa no volume de produção de azeite (-30%) em relação à campanha anterior. Apesar disso, prevê-se que seja superior a 1 milhão de hectolitros […]