Milenar Castanheiro de Vales representa Portugal no Concurso Europeu Árvore do Ano 2020

Milenar Castanheiro de Vales representa Portugal no Concurso Europeu Árvore do Ano 2020

O milenar Castanheiro de Vales representa Portugal no Concurso Europeu Árvore do Ano 2020. E já pode escolher a “Árvore Europeia do ano de 2020”. Depois da Azinheira Secular do Monte Barbeiro ter subido ao pódio na edição de 2019 do Tree of the Year, decorre durante este mês a votação para a Árvore Europeia do Ano 2020.

A UNAC – União da Floresta Mediterrânica foi o parceiro escolhido para organizar o concurso a nível nacional.

Durante o mês de Fevereiro todos podem escolher a sua árvore preferida através de um sistema de votação on-line em que cada votante selecciona duas árvores e confirma o voto através de um link que lhe é enviado para o e-mail.

Concurso europeu

O concurso europeu é uma final constituída pelos vencedores do concurso nacional de cada país, estando Portugal representado pelo Castanheiro de Vales, vencedor do concurso Árvore do Ano no nosso País. O Castanheiro conquistou os portugueses com a maravilhosa e generosa cavidade do seu tronco e não irá certamente deixar os europeus indiferentes.

O concurso Tree of the Year procura a árvore europeia com a história mais interessante, e o Castanheiro “é sem dúvida um excelente candidato”.

Pode votar na árvore portuguesa aqui.

As histórias das árvores a concurso e o acesso à votação encontram-se disponíveis aqui.

Castanheiro de Vales

Castanheiro de Vales é uma árvore majestosa e milenar, localizada em propriedade privada, por onde se chega atravessando paisagens agrícolas e florestas de encantar. Trata-se de uma das mais grossas árvores do nosso país, cuja cavidade do tronco guarda muitas histórias dos tempos em que o castanheiro era o ponto de referência das brincadeiras de muitas crianças e se tornou memória de gerações de adultos.

Pelo terceiro ano consecutivo uma espécie autóctone e da família das fagáceas ganha o concurso nacional da árvore do ano, expressando o reconhecimento dos portugueses pelas suas raízes rurais e pelos sistemas agro-florestais mediterrânicos, onde a produção florestal, agrícola e animal se complementam e se completam.

Soutos e castinçais ocupam cerca de 48.300 ha

Os soutos e castinçais ocupam cerca de 48.300 ha, a maioria dos quais localizados em áreas de minifúndio no Norte de Portugal. Têm na castanha a sua principal produção, mas são ecossistemas multi-funcionais de elevado valor social e ambiental como os montados a Sul do Tejo.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo
Anterior Ministra da Agricultura sublinha excelência de produtos nacionais
Próximo Incêndios: Extinto fogo que deflagrou na Calheta há três dias

Artigos relacionados

Blogs

A CNA faz 43 anos sempre presente na luta dos Agricultores

A CNA nasceu da vontade de milhares de Agricultores reunidos no ENCONTRO da LAVOURA, em Coimbra, a 26 de Fevereiro de 1978. Nasceu também da necessidade que os agricultores […]

Últimas

Incêndio destrói aviário e mata quatro mil pintos em Oliveira de Frades

Um incêndio destruiu hoje um aviário no concelho de Oliveira de Frades, matando cerca de quatro mil pintos que estavam no seu interior, disse à agência Lusa fonte do Comando […]

Notícias florestas

Incêndios: Investimento em prevenção e combate duplicou nos últimos três anos

O investimento em prevenção e combate aos fogos rurais duplicou nos últimos três anos, passando de 143 milhões de euros em 2017 para 289 milhões em 2020, indicam números oficiais hoje divulgados. […]