Mercado de Primavera em Abrantes

Mercado de Primavera em Abrantes

No próximo dia 23 de março será dinamizado um Mercado da Primavera entre as 9h e as 13h, junto ao edifício Millenium, em Abrantes. A esta iniciativa, de exposição e venda de hortofrutícolas, agroalimentares e artesanato, associa-se também uma oficina de plantas ornamentais gratuita.

No âmbito do projecto Bairro ConVida e prosseguindo a estratégia de valorização e promoção do que é produzido em Abrantes, Constância e Sardoal, a TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior e o Núcleo de Produtores PROVE do Ribatejo Interior estão a preparar Mercados das Estações, com o intuito de incentivar a população a consumir hortofrutícolas da época, agroalimentares e artesanato da região.

O Mercado da Primavera será o primeiro desta série e irá acontecer, entre as 9h e as 13h, de dia 23 de março. Hortícolas, frutícolas e as ervas aromáticas, que marcam esta época do ano, como alfaces, agriões, couves, grelos, nabos, abóboras, nabiças, tangerinas, limões, laranjas, rúculas, coentros, salsa e alecrim serão os produtos em destaque. Associam-se bancas de agroalimentares e artesanato do Ribatejo Interior, nomeadamente os que melhor se conjuguem com esta estação do ano.

Durante o pequeno certame haverá ainda uma oficina alusiva às plantas ornamentais, pelas 10h30, dada pela empresa sardoalense Plurifrutos. Transmitir alguns cuidados a ter com este tipo de plantas, espécies mais adequadas aos diferentes ambientes, fertilizantes, rega, pragas, doenças, e ainda aprender a transplantar e a manter este género de plantas serão alguns dos conteúdos a reter, nesta pequena formação destinada ao público em geral. As inscrições podem ser feitas através do site da TAGUS.

Com o Mercado da Primavera, a organização pretende dar a conhecer os ciclos das diferentes culturas agrícolas, incentivando a comunidade a consumir hortícolas da época, diretamente dos produtores para os consumidores. E, ainda, criar mais uma oportunidade de promover a comercialização de agroalimentares e o artesanato da região.

Esta iniciativa está inserida no projeto de intervenção comunitária e revitalização social e económica, Bairro ConVida, em Vale de Rãs, liderado pelo Município de Abrantes e que envolve um conjunto de parceiros, em que se inserem a TAGUS e o Núcleo de Produtores PROVE do Ribatejo Interior.

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior A instalação do pomar de figueira-da-índia.
Próximo A Agricultura Portuguesa alcançou em 2018 resultados menos favoráveis do que os obtidos, em média, nos últimos anos - Francisco Avillez

Artigos relacionados

Últimas

O Apocalipse dos Insectos: Mais Fake News dos Pseudo-Ambientalistas

Que não haja enganos. Eu estou genuinamente preocupado com o ambiente e com as alterações climáticas. Aliás, acho que se fala pouco da perda de biodiversidade em comparação com temas “menores”, […]

Comunicados

Cuba – consulta de estabelecimentos interessados em exportar produtos de origem animal

Em resposta a uma solicitação com carácter urgente da Câmara de Comércio Portugal-Cuba […]

Sugeridas

Aspersores de água ajudam aldeia em Arganil a travar o fogo

A aldeia de Travessas, no concelho de Arganil, vai procurar resistir aos incêndios com 12 colunas de aspersão de água testadas hoje pela equipa de […]