MAFDR: Mais investimento público no regadio

MAFDR: Mais investimento público no regadio

[Fonte: MAFDR] Está aberto concurso para apresentação de candidaturas ao Programa Nacional de Regadios (PNRegadios). Trata-se da segunda fase do PNRegadios, financiada pelo Estado através dos empréstimos negociados com o Banco Europeu de Investimento (BEI) e com o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa (CEB). Com uma dotação global de 93 milhões de euros, o concurso destina-se a financiar projetos situados no Alentejo, conforme delimitação indicada no Programa Nacional de Regadios, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 133/2018, de 20 de setembro.

Os projetos podem ser candidatados até ao próximo dia 31 de maio e deverão ser titulados pela EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva, pela Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR), pelas Direções Regionais de Agricultura e Pescas (DRAP), ou por outros organismos da Administração Pública, designadamente Câmaras Municipais, em parceria com a DGADR ou com as DRAP. O nível de apoio a conceder pode ir até 100% do valor de investimento, a fundo perdido, sendo limitado a 40% para as instalações de produção de energia hídrica ou fotovoltaica. Não há limite ao número de candidaturas apresentadas por cada beneficiário, isoladamente ou em parceria, e o valor máximo de cada candidatura é de 15 milhões de euros.

São elegíveis despesas com estudos ligados à elaboração do projeto, expropriações e indemnizações decorrentes da implementação da obra e as obras de execução do projeto. Todos os detalhes constam do anexo I à Portaria n.º 38/2019, de 29 janeiro, que regula o regime de apoio a conceder aos projetos previstos no PNRegadios e enquadrados nos contratos de financiamento celebrados entre a República Portuguesa, o Banco Europeu de Investimento e o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa. Serão valorizadas as infraestruturas de armazenamento já construídas e operacionais que tenham, ou garantam, a implementação de um regime de caudais ecológicos.

O PNRegadios, cuja primeira fase está já em execução, visa a mitigação dos efeitos das alterações climáticas sobre a agricultura, dotando o país de mais reservas de água e de melhores e mais eficientes sistemas de aproveitamento. Outro dos objetivos deste Programa é o aumento da produtividade e da competitividade da agricultura nacional, contribuindo para o aumento das exportações e para a substituição de importações por produção nacional. Até 2023 deverá estar concluída primeira parte do PNRegadios, com a criação de 100 mil novos hectares de regadio, a que corresponde um investimento público de 560 milhões de euros e a criação de 10 mil novos postos de trabalho permanentes.

Comente este artigo
Anterior Floresta. Programa de ordenamento florestal privilegia eucaliptos na Peneda Gerês
Próximo Pedrógão Grande: Ex-presidente do IHRU acusa Fundo Revita de “gestão fraudulenta”

Artigos relacionados

Últimas

Las almendras ecológicas han subido un 33,5% en un año


En esta primera semana del año 2020 no hubo una tendencia clara en el mercado de las almendras.
Mientras que en la Lonja de Albacete no se registraron variaciones en los precios que quedando entre 5,65 y 8,75 euros por kilo. […]

Últimas

CAP esclarece que pagamentos aos agricultores são apenas uma antecipação da PAC

A propósito das notícias hoje divulgadas acerca dos pagamentos aos agricultores a efetuar por parte do governo a partir da próxima segunda-feira, a CAP vem esclarecer que se tratam de verbas anuais no âmbito da Política Agrícola Comum.

Últimas

Primeiro ensaio de amendoal de sequeiro em sebe, em Portugal, foi realizado esta semana na Agroglobal

Após alguns anos de investigação, desenvolvimento e ensaios levados a cabo pela AGROMILLORA chegou […]