Mais de 150 meios humanos da Direção Regional dos Recursos Florestais estão no terreno a desobstruir caminhos

Mais de 150 meios humanos da Direção Regional dos Recursos Florestais estão no terreno a desobstruir caminhos

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, através da Direção Regional dos Recursos Florestais, tem mais de 150 meios humanos e um número superior a uma centena de viaturas e equipamentos no terreno, nas ilhas dos grupos Ocidental e Central para realizar trabalhos de desobstrução de caminhos rurais e florestais, na sequência da passagem do furacão Lorenzo.

Particularmente na ilha das Flores, os esforços das equipas estão concentrados neste momento na desobstrução do Caminho Rural da Fonte do Frade – Caldeira da Lomba e do Caminho Florestal do Rochão, devido à queda de árvores, adianta nota do Executivo Regional.

Decorrem também trabalhos de remoção de árvores nas Reservas Florestais de Recreio da Baleia, no concelho das Lajes das Flores, e de Paulo Camacho, no concelho de Santa Cruz, ambos na ilha das Flores.

Na ilha do Corvo, os elementos da DRRF integram a equipa de bombeiros para a desobstrução de estradas e limpeza de ramos caídos na vila.

O Governo dos Açores diz ainda que no Grupo Central, concretamente na ilha do Faial, quatro equipas intervieram na desobstrução de caminhos florestais e rurais e da estrada regional n.º 1, estando já concluídos os trabalhos concluídos e os caminhos da responsabilidade dos Serviços Florestais do Faial perfeitamente circuláveis.

Relativamente à Reserva Florestal do Capelo, na ilha do Faial, onde caíram várias árvores, vai ficar encerrada ao público até apresentar condições de segurança para os visitantes.

Na ilha Terceira também se registou a queda de ramos e pequenas árvores, mobilizando três equipas no terreno para proceder à limpeza de caminhos rurais e florestais, atualmente já todos com a circulação reestabelecida.

O mesmo cenário ocorre na ilha de São Jorge, onde todas as vias intervencionadas já estão desobstruídas.

Apenas a Reserva Florestal das Sete Fontes, com várias árvores e muros caídos, vai permanecer encerrada ao público até serem repostas as devidas condições de segurança.

Na ilha do Pico, as equipas da Direção Regional dos Recursos Florestais estão desde a primeira hora no terreno a proceder a desobstruções e à reparação de coberturas danificadas em algumas infraestruturas de apoio, havendo também árvores caídas nas Reservas Florestais de Santa Luzia e da Prainha.

No caso da ilha Graciosa, três equipas estiveram esta manhã no terreno a fazer a desobstrução de vias, essencialmente regionais, mas também do Caminho Rural do Grotão, onde caiu uma árvore de grande porte, estando esta tarde a trabalhar na desobstrução do Caminho Florestal da Caldeira.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Planas se enfrenta al candidato a comisario europeo: “No debería haber cambios significativos en la PAC”
Próximo Vitacress apoia terceira edição do “Mulheres com Tomates”

Artigos relacionados

Últimas

Governo decreta serviços mínimos e declara preventivamente estado de emergência energética

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários. […]

Nacional

“Podemos andar ou correr. Eu sugiro que a gente corra”

Para evitar tragédias como as de 2017 é preciso acelerar o passo. Até 5 de fevereiro está em discussão pública a estratégia para a próxima década […]

Nacional

Tertúlias do Montado na Herdade da Mitra -15 de Novembro – Évora

O ICAAM – Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas da Universidade de Évora, organiza periodicamente as “Tertúlias do Montado”, […]