Maioria dos trabalhadores agrícolas trabalha em condições precárias, aponta investigador norte-americano

Maioria dos trabalhadores agrícolas trabalha em condições precárias, aponta investigador norte-americano

Segundo Philip Martin, professor da Universidade da Califórnia, em maioria dos países, 50% dos trabalhadores agrícolas vivem em baixos rendimentos, enquanto que 5% representa uma classe média alta. “Não sei se as pessoas têm noção das condições em que este trabalho é feito atualmente”, frisou durante a sua intervenção na terceira conferência do ciclo “Conhecer para Decidir, Planear para Agir”, esta quarta-feira, promovido pela Lusomorango e pela Universidade Católica Portuguesa, na qual o Jornal Económico é media partner.

A agricultura continua a ser um grande empregador nos dias de hoje. Segundo os dados apresentados, esta quarta-feira, por Philip Martin, professor e investigador da Universidade da Califórnia, 884 milhões ou 27% dos 3,3 mil milhões de trabalhadores do mundo trabalham neste sector.

Nos Estados Unidos, 20% das quintas de grande produção empregam mais de 75% dos empregadores no país, sendo que “muitos são imigrantes”. Em Portugal, estima-se que trabalhem atualmente nas regiões do Algarve e do Alentejo cerca de 30 mil trabalhadores agrícolas imigrantes. Deste valor, sabe-se que 12 mil trabalham em Beja, segundo dados

Continue a ler este artigo no Jornal Económico.

Comente este artigo
Anterior CNCDA | Disponibilizado o formulário para requerimento do Selo "Produção Sustentável, Consumo Responsável"
Próximo Incêndios: Quatro aldeias turísticas de Góis mais seguras com limpezas em redor

Artigos relacionados

Cotações PT

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 26 Outubro a 1 Novembro 2020

As cotações médias nacionais, mais frequentes, de novilhos e de novilhas 12 a 24 meses, não sofreram alterações, excepto a cotação de novilha 12 a 24 meses cruzada Charolês que aumentou […]

Últimas

Acréscimo: Governo quer instalar extensas áreas de monoculturas intensivas para produção de electricidade

A direcção da Acréscimo – Associação de Promoção ao Investimento Florestal diz que “o Governo pretende instalar extensas áreas de monoculturas intensivas e super-intensivas para a produção de electricidade”. […]

Últimas

PDR 2020: Pró-Raia tem apoios à seca moderada nos concelhos da Guarda e do Sabugal

O PDR 2020 tem mais um apoio, para os concelhos da Guarda e Sabugal. São 125 mil euros para mitigação dos efeitos da seca moderada,  […]