Líder do PSD/Açores defende programa rural para os jovens agricultores

Líder do PSD/Açores defende programa rural para os jovens agricultores

José Manuel Boleiro considerou que esta iniciativa vai além das medidas avulsas avançadas no âmbito do combate aos impactos económicos e sociais da pandemia da Covid-19, sendo estruturante para “afirmação da agricultura na próxima década”, integrando o programa do PSD/Açores.

“Ao contrário de outros, não estamos nos primeiros dias do fim da nossa vida, mas sim no âmbito de uma proposta para uma década de governação e de transformação, bem como de uma transição da economia açoriana que valorize cada vez mais o rendimento dos agricultores e explorações agrícolas”, declarou o dirigente, aos jornalistas, à saída de um encontro com a Associação de Jovens Agricultores de São Miguel.

O presidente social-democrata afirmou que “sempre que houver redução da atividade agrícola e o ajustamento à economia verde, quando for necessário, os agricultores serão beneficiários da respetiva compensação financeira, quer por via do mercado quer dos apoios públicos”.

José Manuel Boleiro defende um modelo de compensação anual aos jovens agricultores que “assuma a reestruturação da sua exploração em modelos inovadores, assegurando o apoio técnico permanente” e integrando a plataforma Rural Inova, Observatório de Preços e Custos de Produção, Apoio Técnico à Distância e Gestão de Compras e Pagamentos a Fornecedores.

“Defendemos que recebam a totalidade dos apoios ao rendimento desligados da produção e que façam a mudança que se impõe para aumentar o rendimento das suas famílias”, disse.

Para José Manuel Boleiro, a mulher e os filhos de um jovem agricultor, que “sejam recursos humanos ativos das explorações agrícolas ou desenvolvam outras atividades rurais complementares, devem ter um apoio suplementar na criação e manutenção dos seus postos de trabalho e concessão de benefícios à exploração agrícola”.

O presidente do PSD/Açores reiterou que a região deve “substituir medo por confiança” nesta fase de combate à covid-19, que passa por um maior desconfinamento, devendo-se “valorizar o mercado interno na circulação de pessoas e bens, quer na atitude dos açorianos, que necessitam desbloquear-se do medo para garantir um plano de confiança”.

Continue a ler este artigo no Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Governo cria grupo operacional para acompanhar a Estratégia de Valorização da Carne dos Açores
Próximo Incêndios: PSD aponta falta de meios aéreos e avisa que covid-19 não justifica atrasos

Artigos relacionados

Nacional

Campanha de mupis da Vitacress comemora Lisboa “Capital Verde Europeia” 2020

A Vitacress vai ter patente em Lisboa, até 27 de Janeiro, uma campanha de mupis que visa celebrar o prémio “Capital Verde Europeia” […]

Blogs

Issues at stake in the trilogues: II Public intervention

This is a second, long-delayed, post on the issues at stake in the trilogue negotiations between the Council, Parliament and Commission on the CAP reform dossier. The first was on relevant definitions, this time on the rules for public […]

Nacional

Madeira vai apostar na produção de uma sidra que é “a melhor do mundo”

“Esta é a primeira sidraria da Madeira que está tecnicamente habilitada para produzir a melhor sidra da região”, destacou Miguel Albuquerque na abertura desta unidade industrial instalada na freguesia do Santo da Serra, […]