Km0 Alentejo – Sabores do Alentejo: o caminho mais curto do produtor ao consumidor

Km0 Alentejo – Sabores do Alentejo: o caminho mais curto do produtor ao consumidor

Potenciar o consumo de produtos agro-alimentares de origem local e alertar para a pegada ecológica associada ao consumo energético da produção intensiva convencional, embalagem, transporte e armazenagem dos alimentos produzidos a grande distância do local onde são consumidos são objetivos da inicitiva “Km0 Alentejo – Sabores do Alentejo”, coordenada pela Universidade de Évora através do MED – Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (anterior ICAAM).

A ideia é contribuir para a diversidade e resiliência dos sistemas alimentares e para a valorização dos produtos locais, encontram-se nesta fase a certificação de produtores, restaurantes, lojas e transformadores por parte da entidade certificadora CERTIS, envolvendo toda a cadeia de valor. Esta certificação garante que a distância entre o local de produção e o local de consumo final, não vai além de 50 Km em linha reta e que não há mais do que um intermediário (regras definidas no referencial de certificação Km0 Alentejo). Embora o Km0 Alentejo tenha começado em Évora, pretende-se chegar a todo o Alentejo.

Em breve será possível encontrar o logotipo Km0 na entrada dos estabelecimentos e desta forma selecionar os restaurantes que oferecem ao consumidor um menu apenas com produtos locais. Nos mercados o consumidor poderá identificar os produtores locais certificados que vão passar a estar identificados com este logotipo, tal como os produtos frescos ou transformados que cumpram os requisitos impostos pelo Km0. Toda a cadeia de valor passará a estar envolvida nesta iniciativa, desde a produção, à transformação, lojas, terminando na restauração.

Para além da Universidade de Évora integra esta iniciativa a Câmara Municipal de Évora, Entidade Regional de Turismo, Associação Comercial do Distrito de Évora, Núcleo Empresarial da Região de Évora, Fundação Alentejo, Gesamb e SlowFood Alentejo, estando a Imagem/marca registada na página http://www.km0alentejo.pt.

O artigo foi publicado originalmente em Universidade de Évora.

Comente este artigo
Anterior Coimbra: Agricultores reclamam emparcelamento prometido há 30 anos
Próximo Ação de formação "Plano de ação para a vigilância e controlo da vespa velutina em Portugal" - 11 de fevereiro - Monchique

Artigos relacionados

Últimas

Serrão Santos pede Europa atenta a desafios sociais e ecológicos

O eurodeputado do PS Ricardo Serrão Santos, eleito pelos Açores, pediu este sábado que nas eleições europeias de maio se procure chegar a uma Europa de “agenda progressista”, […]

Nacional

Fabricantes investigam ingredientes alternativos e sustentáveis para alimentação animal

[Fonte: Observador] Portugal importa cerca de 80% da matéria-prima para o fabrico de alimentação animal. Uma associação investiu 250 mil euros em investigação para substituir os ingredientes de rações em Portugal. […]

Últimas

A Concentração que a CNA promoveu, a 8 de Novembro, junto à Assembleia da República reforça reclamações para melhorar a proposta do Governo de OE para 2019.

A proposta do Governo para o Orçamento do Estado (OE) para 2019 regista uma redução efectiva de 116 milhões de Euros comparativamente com o aprovado para 2018, […]