Judiciária anuncia detenção de presumível incendiário em Oliveira do Hospital

Judiciária anuncia detenção de presumível incendiário em Oliveira do Hospital

A Polícia Judiciária anunciou este domingo a detenção de um presumível incendiário nos arredores de Oliveira do Hospital.

Num comunicado enviado à Renascença a Judiciária diz que a detenção do homem com 24 anos, pela presumível prática de um crime de incêndio florestal, ocorrido no dia 26 de julho, foi feita em colaboração com a GNR local.

“Por volta das 15h30 horas, o suspeito, usando chama direta, colocou um incêndio em zona florestal povoada com mato, silvado e pinheiros, dentro de uma vasta mancha florestal, que teria proporções mais gravosas caso não tivesse havido uma rápida intervenção de populares e dos bombeiros de Oliveira do Hospital”, diz o comunicado.

“A atuação do suspeito colocou em perigo a integridade física e a vida de pessoas, bem como habitações e a uma vasta mancha florestal. Existem fortes suspeitas do indivíduo em causa ser autor de outros incêndios, ocorridos este ano, na mesma zona de Oliveira do Hospital.”

A Polícia Judiciária acrescenta que o detido, que já tinha antecedentes criminais por crimes parecidos, foi persente a primeiro interrogatório no Tribunal em Coimbra, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Como a taxa de desemprego cai sempre entre abril e junho
Próximo Catástrofes naturais levam 351 milhões às seguradoras

Artigos relacionados

Nacional

Desertificação não tem de significar abandono

[Fonte: O Jornal Económico]

A desertificação do interior do País é um fenómeno que se faz sentir há […]

Cotações PT

Cotações – Suínos – Informação Semanal – 7 a 13 Outubro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Deu-se um ligeiro decréscimo da cotação média nacional do porco classe S em relação à […]

Nacional

Política florestal: uma receita para o desastre – Carlos Matias

No que diz respeito à floresta, este OE2020 não protege os mais pequenos. Constitui, sim, um verdadeiro ataque aos mais pequenos e aos […]