João Sena Cardoso: “Eu executava um plano de construção de centrais de dessalinização de água do mar para injeção na rede de abastecimento de água atual”

João Sena Cardoso: “Eu executava um plano de construção de centrais de dessalinização de água do mar para injeção na rede de abastecimento de água atual”

Plenário é uma iniciativa pensada para alargar o debate nas legislativas de 6 de outubro a quem tenha ideias para apresentar para uma melhor governação do país. Há muito para discutir antes da ida as urnas e é por isso que queremos começar já a pensar o país que vamos ter (e ser) nos próximos quatro anos — e contamos com o seu contributo. Assim, lançámos o desafio, em forma de pergunta: Se fosse primeiro-ministro ou primeira-ministra nos próximos quatro anos, qual era o problema que resolvia primeiro? Ou, perguntando de outra forma: qual seria a sua prioridade para o país?

João Sena Cardoso, de Nisa, juntou-se ao Plenário, leia aqui o seu contributo na íntegra:

Eu delineava e executava um plano de construção de centrais de dessalinização de água do mar para injeção na rede de abastecimento de água atual, para que numa distância de 40 km do mar toda a população fosse servida por estas centrais num prazo de 10 anos (como Espanha está a começar a fazer e Israel já faz há muito tempo, neste último caso até para agricultura, que é o setor onde se consome mais água em todo o mundo e em Portugal igualmente). Isto permitiria maior disponibilidade de recursos hídricos para todo o país e de uma fonte inesgotável (Oceano Atlântico) e ficaríamos com o problema da água resolvido para sempre (expandindo a rede até todo o país ao longos dos anos, no entanto nestes 40 km da costa fica 70% da população), pelo menos para consumo humano.

O que acha desta ideia? Deixe a sua opinião nos comentários deste artigo. Desejamos uma discussão construtiva, por isso todos os comentários devem respeitar as regras de comunidade do SAPO24, que pode ler aqui.


Queremos também o seu contributo para pensar o país. As legislativas acontecem a 6 de outubro, mas a discussão sobre o país que queremos ter (e ser) nos próximos quatro anos começa muito antes da ida às urnas. É esse o debate que o SAPO 24 quer trazer — e contamos consigo.

Saiba como participar aqui. Veja os contributos dos nossos convidados e leitores em 24.sapo.pt/plenario e, claro, junte-se ao debate. 

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Cerca de uma centena de concelhos de 15 distritos em risco máximo
Próximo Alerta vermelho. Rajadas até 70 km/h, funcionários públicos que sejam bombeiros dispensados para ajudar ao combate

Artigos relacionados

Últimas

Comunicação da Comissão sobre o futuro da PAC: mais do mesmo

Proposta da Comissão não responde às necessidades e anseios dos agricultores e das zonas rurais
 O processo de reforma da PAC pós 2020, […]

Últimas

AlgaEnergy contrata quadros de topo para Ásia e Índia

Agro-Negócio

A AlgaEnergy anunciou recentemente duas contratações relativas à sua presença no mercado asiático: Debabrata Sarkar assume o cargo de vice-presidente da empresa para a Ásia Pacífico e Lokesh Singh torna-se director geral da empresa na Índia. […]

Últimas

Olhão lança projeto social de agricultura hidropónica urbana

A agricultura hidropónica urbana vai ser posta ao serviço da ação social, em Olhão, Faro, através da implementação de um projeto de empreendedorismo social […]