João Ponte: Prémios dos queijos dos Açores no concurso nacional devem servir de estímulo ao aperfeiçoamento da produção

O secretário Regional da Agricultura e Florestas doa Açores, João Ponte felicitou hoje, 29 de Outubro, todos, cooperativas e indústrias açorianas distinguidas no âmbito do Concurso Queijos de Portugal 2019, alegando que os prémios atribuídos devem servir de estímulo para continuar o processo de aperfeiçoamento da qualidade da produção de queijos na Região.

“Estamos convictos e confiantes que esta distinção constitui uma motivação acrescida para o trabalho que cada um de nós, nas nossas áreas, tem que fazer para que a produção de queijo nos Açores seja cada vez mais forte e competitiva”, referiu João Ponte, no ofício enviado às indústrias e cooperativas premiadas.

Concurso Queijos de Portugal

A entrega dos prémios do Concurso Queijos de Portugal, organizada pela Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL), decorreu segunda-feira em Lisboa, tendo sido disputada por um total de 210 queijos, dos quais 24 dos Açores, em 23 categorias.

Foram premiados, em diversas categorias, queijos de cooperativas e indústrias das ilhas do Faial, São Jorge, Terceira e São Miguel.

Para João Ponte os produtos lácteos dos Açores têm todas as condições para continuar a trilhar o caminho da qualidade, da inovação, da diferenciação e da aposta em produtos genuínos, como por exemplo o biológico.

Aproveitar as boas oportunidades

Neste sentido, frisou o governante, importa continuar a aproveitar as boas oportunidades proporcionadas pela natureza açoriana para a produção agrícola de qualidade, estar atentos e dar resposta às escolhas dos consumidores, assegurar a sustentabilidade ambiental e o bem-estar animal.

“Estes são factores determinantes para um posicionamento nos mercados e para uma maior valorização das nossas produções”, considerou João Ponte, lembrando que os Açores representam 53% do queijo produzido no País.

Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial

Na categoria “Queijo Flamengo” foi vencedor o queijo “Ilha Azul”, da Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial (CALF) e na categoria “Ilha” o queijo “São Miguel (9 meses)”, da Unileite.

Os queijos açorianos receberam ainda 7 menções honrosas, designadamente, o “Valformoso”, na categoria “Flamengo”, o “Milhafre dos Açores”, na categoria “Queijo de Vaca Cura Normal”, o “Capelinhos” e o “Milhafre dos Açores”, ambos na categoria “Vaca Cura Prolongada”, os queijos “Beira” e “Lourais”, ambos na categoria “Ilha” e ainda o “Valformoso”, na categoria “Queijo para Barrar”.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Fundo de investimento privado para a floresta já tem luz verde para avançar
Próximo Pagamento das Ajudas do Pedido Único - Informação aos beneficiários

Artigos relacionados

Nacional

Empresária Celorico espera reabertura de mercados para evitar “desastre”

Uma empresária hortícola de Celorico da Beira que, devido à pandemia da covid-19 passou a vender diretamente na exploração agrícola, anseia pela […]

Nacional

Azeite Picoto estreia-se nas cozinhas da rede Almayass

A Picoto, micro empresa especializada na produção de azeite premium, está a preparar a entrega da primeira encomenda para a cadeia internacional de restaurantes Almayass. […]

Últimas

Setor das frutas e hortícolas – Cooperativas Agrícolas solicitam à Comissão Europeia que adote medidas excecionais

Num contexto de enorme turbulência, o COPA-COGECA, organização europeia que representa os interesses dos agricultores e das suas […]