Já leu a Vida Rural de maio?

Já leu a Vida Rural de maio?

A edição de maio da Vida Rural já está disponível online. Este mês destacamos a entrevista a Gonçalo Andrade, presidente da Portugal Fresh, sobre a forma como o setor dos hortofrutícolas e flores está a viver a crise de mercado provocada pela pandemia da Covid-19.

Tempo ainda para a reportagem sobre a produção de sésamo no Brasil, uma cultura ainda marginal mas que já está a ocupar áreas de milho em algumas regiões brasileiras.

No dossier técnico desta edição, dedicado aos hortofrutícolas, são muitos os motivos de interesse. Desde logo o tema que faz capa, com foco nas aplicações foliares de cálcio, em frutas como a cereja ou a ameixa, com o objetivo de prolongar o tempo de conservação destas frutas mais perecíveis. Não perca ainda os últimos desenvolvimentos na utilização de biofertilizantes em maçãs e fique a par das novidades da iluminação led em horticultura protegida.

Tenha acesso à revista aqui.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Setor florestal mantém atividade e diz ser "estratégico" para a retoma
Próximo Mel de rosmaninho de Alqueva vence ouro no Concurso Nacional de Mel

Artigos relacionados

Últimas

Cuidados na plantação e formação de vinhas novas, para reduzir ou evitar infeções de esca e de outras doenças do lenho e de raiz

Na instalação de uma vinha nova, devem ser tomadas todas as medidas conhecidas possíveis, para que esta se desenvolva nas melhores condições. Videiras saudáveis, bem enraizadas, corretamente […]

Últimas

DGAV recebeu 82 pacotes de sementes não solicitadas de 29 espécies

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já recebeu, através de cidadãos nacionais, da PSP e da GNR, 82 pacotes de sementes não solicitadas de 29 espécies, incluindo exóticas, avançou à […]

Sugeridas

Consulta Pública alterou completamente o Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050

O Conselho de Ministros aprovou hoje, 6 de Junho, assinalando o Dia Mundial do Ambiente, o Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050. […]