Isolados e sem comunicações, dois anos depois dos incêndios. “Se o lume voltar, o Estado pode vir tomar conta disto”

Isolados e sem comunicações, dois anos depois dos incêndios. “Se o lume voltar, o Estado pode vir tomar conta disto”

[Fonte: Rádio Renascença]

Isolados e sem comunicações, dois anos depois dos incêndios. “Se o lume voltar, o Estado pode vir tomar conta disto”

17 jun, 2019 – 06:20 • Joana Gonçalves

A aldeia de Marinha do Vale Carvalho, na Sertã, continua sem comunicações, dois anos depois do grande incêndio que devastou a zona. Os terrenos e as faixas de gestão de combustível permanecem por limpar. Os proprietários sentem-se esmorecidos, sem vontade de investir, e os concursos públicos estão desertos. Os moradores destas aldeias estão cada vez mais isolados. Este 17 de Junho assinala-se, pela primeira vez, o dia em memória das vítimas de incêndios florestais, dois anos depois da morte de 116 pessoas, no pior ano de incêndios florestais em Portugal.

Comente este artigo

O artigo Isolados e sem comunicações, dois anos depois dos incêndios. "Se o lume voltar, o Estado pode vir tomar conta disto" foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior The Navigator Company apela aos mais novos para a preservação da floresta e meio ambiente
Próximo Seminário “Novas oportunidades agrícolas no Perímetro de Rega do Mira” - 27 de junho - Odemira

Artigos relacionados

Nacional

Venda da madeira do Pinhal de Leiria já rendeu 13,6 milhões de euros

[Fonte: SAPO 24]
A venda de lenha do Pinhal de Leiria rendeu já 13,6 milhões de euros, […]

Últimas

Das cascas de ananás ao desperdício zero. Projeto vence prémio da Agência Nacional de Inovação

[Fonte: Voz do Campo]
Projeto AgroGrIN Tech permite o aproveitamento total dos resíduos das indústrias de processamento de frutas
Das cascas de ananás ao desperdício zero: o projeto AgroGrIN Tech, […]

Últimas

Novo diploma permite “fazer justiça” aos bombeiros municipais, diz Eduardo Cabrita

[Fonte: Açoriano Oriental]

O ministro da Administração Interna considerou este sábado que o diploma promulgado na sexta-feira pelo Presidente da República permite “fazer justiça” […]