Investigadores avaliam risco para abelhas melíferas

Investigadores avaliam risco para abelhas melíferas

[Fonte: Vida Rural]

O projeto ‘ApisRAM’, que “pretende validar um modelo de avaliação de risco para colónias de abelhas melíferas a nível europeu”, vai reunir em Coimbra “especialistas da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) e investigadores do Brasil, Dinamarca, França, Irlanda, Itália e Portugal” entre os dias 22 e 24 de janeiro.

De acordo com José Paulo Sousa, coordenador da equipa portuguesa que é composta por sete investigadores do Centro de Ecologia Funcional da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), este modelo “permitirá prever o estado de saúde das colónias de abelhas adotando uma abordagem holística ao problema, integrando não apenas informação sanitária sobre as colónias (por exemplo, incidência de varroa e outras doenças) e efeitos derivados da exposição a pesticidas, mas também a influência da composição e gestão da paisagem (essencialmente ao nível de práticas agrícolas e disponibilidade de recursos florais”.

A solução desenvolvida no âmbito do ApisRAM será utilizada pela EFSA, que financia o projeto, e pelos diferentes países europeus, “não só na avaliação de risco de pesticidas para abelhas, mas também por outras agências (por exemplo, DG AGRI e DG ENV) como ferramenta de gestão do território, permitindo a tomada de decisões sobre as práticas de gestão ao nível da paisagem para minimizar o risco para estes polinizadores”, diz ainda o investigador.

Recorde-se que em 2018, o Parlamento Europeu propôs medidas de “grande escala” para proteger a saúde das abelhas, apoiar os apicultores europeus e promover o mel e a sua utilização enquanto produto terapêutico.

Atualmente, a União Europeia tem cerca de 600 mil apicultores, 10 698 dos quais em Portugal, de acordo com dados publicados pela Comissão Europeia em 2016. No total, produzem-se anualmente, no espaço comunitário, cerca de 250 mil toneladas de mel, o que faz da UE o segundo maior produtor mundial, logo a seguir à China.

Comente este artigo

O artigo Investigadores avaliam risco para abelhas melíferas foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior I Encontro Nacional dos Produtores de Espargo é já na próxima semana
Próximo As primeiras alfaces em Marte podem ser portuguesas

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios: Câmara de Mação diz que declarações de António Costa “não foram corretas”

[Fonte: SAPO 24]

“Essas intervenções do senhor primeiro-ministro, naquele momento em específico e da forma como foram feitas, não foram corretas, digamos assim. No entanto, eu acho que o senhor primeiro-ministro é uma pessoa com quem eu partilho inteiramente aquele que é […]

Nacional

União Europeia ativa satélite Copernicus para auxiliar Portugal nos incêndios

[Fonte: O Jornal Económico]

epaselect epa07732157 People look at a forest fire in the area of Vila de Rei, Portugal, 21 July 2019. Some of 800 Portuguese firefighters work to extinguised the biggest fires this summer that broke out across central Portugal on 20 July and spread by strong wind. […]

Últimas

Governo vai suspender apoio ao investimento em olival no Alqueva

[Fonte: O Jornal Económico]

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, considera que as implicações do olival têm sido “distorcidas” pela opinião pública e não têm as pressões ambientais que lhe são atribuídas.
O ministro da Agricultura, […]