Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) regista “Vinagre de Vinho do Porto” como Marca Coletiva de Certificação

Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) regista “Vinagre de Vinho do Porto” como Marca Coletiva de Certificação

Comerciantes e produtores-engarrafadores de Vinho do Porto poderão comercializar e produzir vinagre a partir de Vinho do Porto certificado.

O IVDP efetuou o registo da marca coletiva “Vinagre de Vinho do Porto”, tendo em conta o potencial qualitativo do vinagre elaborado exclusivamente a partir de Vinho do Porto. Estando já finalizado o processo, todos os comerciantes e produtores engarrafadores de Vinho do Porto, que pretendam comercializar “Vinagre de Vinho do Porto”, podem candidatar-se a produzi-lo, devendo começar por estabelecer um protocolo com o IVDP.

Depois de vários meses de estudos, pesquisas de mercado e avaliação da metodologia a seguir, foi decidido, pelo IVDP, efetuar o registo da marca coletiva “Vinagre de Vinho do Porto”. O seu uso está sujeito às regras constantes do regulamento exigido pelo Código da Propriedade Industrial cujo cumprimento integral é condição essencial para a produção e comercialização do “Vinagre de Vinho do Porto”. A prévia certificação do Vinho do Porto, a análise quantitativa e qualitativa do vinagre produzido e a aprovação dos rótulos pelo IVDP, como organismo certificador, são exemplos das regras a seguir.

“O “Vinagre de Vinho do Porto” surge do interesse do setor, que aprovou a medida por unanimidade, em apresentar um produto premium proveniente do Vinho do Porto. A experimentação já desenvolvida e a procura de novos produtos de elevada qualidade, que possam acrescentar valor ao setor vitivinícola, fazem parte do posicionamento do IVDP que salvaguarda sempre a imagem de prestígio internacional de que beneficia a Denominação de Origem Protegida Porto.” Manuel Cabral, Presidente do IVDP.

 

Comente este artigo
Anterior Crédito Agrícola Promove Passatempo com a MasterCard
Próximo Oferta de Emprego: Gestor Obra Espaços Verdes - Portugal

Artigos relacionados

Dossiers

Mação. Autarca diz que arderam três mil hectares. “Está em risco de desaparecer o que sobrou de 2017”

Os três incêndios no distrito de Castelo Branco provocaram sete feridos ligeiros e um grave.
O vice-presidente da Câmara de Mação disse este domingo à agência Lusa que as chamas já consumiram três mil hectares de floresta e que está em risco de desaparecer o que sobrou dos incêndios de 2017. […]

Comunicados

Produtores agroflorestais apresentam propostas para o montado e exigem clarificação da posição do Governo

Inserido no ciclo de workshops “Mais Conhecimento/ ha” decorreu na 3ª feira no Observatório do Sobreiro e da Cortiça em Coruche, […]

Comunicados

Promoção de produtos agrícolas – Infoday Portugal 2020 | Apresentações

Empresas, cooperativas, associações e consultoras estiveram presentes na Sessão de esclarecimento Info Day Portugal destinada aos potenciais […]