Inquérito. Anpromis quer quantificar prejuízos causados por javalis no milho

A Anpromis — Associação dos Produtores de Milho e Sorgo de Portugal quer contabilizar os prejuízos causados pelos javalis, nas searas de milho instaladas durante a presente campanha agrícola.

Para isso tem em curso mais um inquérito, a Ficha Informativa – Inquérito Prejuízos – Javalis 2019, ao qual pode responder aqui.

Prejuízos de 1 milhão de euros em 2018

Esta iniciativa da Anpromis e é a continuação do levantamento efectuado no início deste ano, em que segundo o levantamento feito na altura, permitiu recolher a informação de que os prejuízos causados pelos javalis em 2018, nas searas de milho dos seus associados (que responderam ao inquérito), rondaram 1 milhão de euros de prejuízos.

“O objectivo deste “inquérito” é irmos acompanhando esta problemática, que tantos prejuízos causa aos nossos associados”, diz fonte institucional da Anpromis ao agriculturaemar.com.

Linha da Frente (RTP1)

Aproveitamos para deixar aqui o link para programa Linha da Frente (RTP1), subordinado ao tema “A Invasão dos Javalis”:

Clique aqui.

Ver também:

ICNF alarga período de licenciamento de caça ao javali até 30 de Setembro

Zonas de caça podem realizar medidas de correcção de densidade de javali até 30 de Junho

Agricultores lesados pelos Javalis recebidos na Assembleia da República

CNA quer indemnizações aos “lesados pelos javalis” e dá prazo de um mês ao Ministério da Agricultura

Javalis fazem prejuízo de 985 mil euros nas searas de milho. Produtores pedem esforço de caça

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Código de Boas Práticas Comerciais: o caminho para uma autorregulação eficaz - Nuno Fernandes Thomaz
Próximo Soil Health Institute releases strategy for enhancing soil health

Artigos relacionados

Nacional

Ação de capacitação em proteção das culturas

Inserido no âmbito da operação CCHortoFruti9 vai ser realizada uma ação de capacitação em proteção das culturas, com uma carga horária total de 52 horas, […]

Dossiers

Quando se podem fazer queimas e queimadas em 2021

O uso do fogo encontra-se associado a várias práticas agrícolas e florestais, no entanto, são vários os casos em que estas […]

Últimas

Quinta do Pôpa estreia-se na produção de vinho do Porto


Quinta do Pôpa estreia-se na produção de vinho do Porto
Depois da chegada de um novo DOC Douro, o monocasta de Touriga Franca ‘Pôpa TF’, […]