Incêndios: Risco máximo em cerca de 40 concelhos do interior Norte, Centro e Algarve

Incêndios: Risco máximo em cerca de 40 concelhos do interior Norte, Centro e Algarve

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IMPA) coloca também em risco muto elevado de incêndio cerca de uma centena de municípios do interior Norte e Centro e da região algarvia e em risco elevado mais de meia centena de concelhos nos distritos de Faro, Beja, Évora, Portalegre, Coimbra, Viseu, Aveiro, Porto, Braga e Vila Real.

O risco de incêndio calculado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa da manutenção do risco elevado de incêndios, o Exército e a Marinha vão reforçar entre hoje e sexta-feira os contingentes no terreno para vigiar e prevenir fogos florestais.

Segundo um comunicado do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), 16 patrulhas (12 do Exército e quatro da Marinha), compostas por 144 elementos vão ser distribuídas pelo território continental em nove distritos: Bragança, Castelo Branco, Faro, Guarda, Porto, Portalegre, Santarém, Viseu e Vila Real.

Os 144 militares vão juntar-se aos 116 que já estão em funções, no âmbito do Protocolo Faunos, em apoio ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

Além da subida das temperaturas máximas, o IPMA prevê para hoje nebulosidade matinal no litoral oeste a sul do Cabo Mondego em durante a tarde, a nebulosidade vai aumentar no interior Norte e Centro, com baixa probabilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e trovoadas, em particular em zonas montanhosas.

O vento vai soprar fraco a moderado do quadrante norte e por vezes forte do quadrante leste nas terras altas das regiões Norte e Centro até ao início da manhã, e rodando para quadrante oeste a partir da tarde.

Segundo as previsões do IPMA, as temperaturas máximas deverão variar entre os 24.º (Sines) e os 39.º (Beja e Évora) e as mínimas entre os 14.º (Leiria) e os 21.º (Faro).

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior A ANEB denuncia o oportunismo pernicioso do PAN
Próximo Incêndio de Oleiros foi travado por áreas queimadas nos fogos de 2017

Artigos relacionados

Nacional

A instalação do pomar de figueira-da-índia.

Utilização de recursos genéticos locais ou clones melhorados?
IntroduçãoA figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica) é uma espécie da família Cactaceae com centro de domesticação localizado no México (Griffith, […]

Opinião

A agricultura e os regadios – José Mesquita Milheiro

A agricultura mediterrânea dos nossos dias resulta de uma história de milhares de anos, através da interação entre pessoas e condições […]

Últimas

Não vale a pena multiplicar barragens quando não há água, diz ministro do Ambiente

O ministro do Ambiente avisou hoje que “não vale a pena multiplicar barragens quando não há água”, apontando a reutilização de águas residuais como a solução mais imediata para garantir […]