Incêndios: Proença-a-Nova está a reflorestar quatro hectares de área ardida em 2017

Incêndios: Proença-a-Nova está a reflorestar quatro hectares de área ardida em 2017

“Junto à charca [do parque empresarial], foram plantados cerca de 450 medronheiros, escolhidos pelo seu menor porte e por, desta forma, não impedirem o eventual acesso de aeronaves para abastecimento caso seja necessário (…)”, explica, em comunicado, este município do distrito de Castelo Branco.

Na restante área do Parque Empresarial de Proença-a-Nova (PEPA) e, em função das características do solo, estão a ser plantadas outras espécies de maior porte.

Na zona de maior humidade, junto à linha de água ali existente, privilegiaram-se os freixos e, nos solos mais pobres e com menos humidade, plantaram-se os sobreiros e pinheiros mansos.

O município adianta que serão ainda plantadas faias, carvalho americano e carvalho nacional, num total de mais de 1.500 árvores em toda a área de intervenção.

“São pequenos exemplos que realizamos no sentido de alterar, muitas vezes, ideias pré-concebidas quanto à matriz da gestão florestal e estimular a diversidade de povoamentos de acordo com as potencialidades do solo, promovendo a biodiversidade”, sublinha o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo.

Em 2017, a autarquia já tinha plantado mil medronheiros num terreno localizado num dos topos do aeródromo municipal, nas Moitas, plantação que daqui a dois anos irá dar os primeiros frutos.

Continue a ler este artigo no SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Investimentos na Exploração Agrícola abrem inscrições
Próximo Tecnológicas unidas para dinamizar setor agrícola

Artigos relacionados

Últimas

Pagamentos de Fevereiro 2018

No dia 28 de fevereiro de 2018 o IFAP procedeu a pagamentos, num montante total de cerca de57,0 milhões de euros*, […]

Últimas

UE lança Questionário aos operadores da cadeia de abastecimento agroalimentar sobre os efeitos da Covid-19

O Centro Comum de Investigação da Comissão Europeia (EU Science Hub – Joint Research Centre) lançou um inquérito dirigido a todos os produtores, […]

Nacional

Incêndios: Jovens migrantes e refugiados vigiam a floresta em Castelo Branco

Doze voluntários com idades entre os 18 e os 24 anos, maioritariamente migrantes, integram o projeto “Nós pelas Florestas!”, promovido pela Amato […]