Incêndios: Oito concelhos dos distritos de Faro e Bragança em risco máximo

Incêndios: Oito concelhos dos distritos de Faro e Bragança em risco máximo

Oito concelhos dos distritos de Faro e Bragança apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo de incêndio estão os concelhos de São Brás de Alportel e Tavira (Faro), Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Vinhais, Bragança, Vimioso e Miranda do Douro (Bragança).

O IPMA colocou também mais de 60 concelhos dos distritos de Vila Real, Bragança, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Santarém, Portalegre, Beja e Faro risco muito elevado de incêndio.

Há também mais de 60 concelhos de vários distritos do continente em risco elevado.

De acordo com o IPMA, o risco de incêndio vai manter-se elevado em algumas regiões de Portugal continental pelo menos até domingo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje céu pouco nublado ou limpo e condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada nas regiões Norte, Centro e no Alto Alentejo durante a tarde, em especial em zonas montanhosas, podendo ser localmente fortes e de granizo.

A previsão aponta também para vento fraco a moderado do quadrante norte, com condições favoráveis a rajadas fortes durante a tarde, soprando moderado de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro e de sudoeste na costa sul do Algarve durante a tarde.

Nas terras altas do Norte e Centro, o vento será moderado a forte de nordeste até ao fim da manhã e a partir do fim da tarde.

Está ainda prevista neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste e pequena descida da temperatura máxima.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 14 graus Celsius (em Viana do Castelo) e os 18 (em Vila Real e Faro) e as máximas entre os 23 graus (em Aveiro) e os 33 (em Évora, Beja, Castelo Branco, Vila Real e Braga).

Comente este artigo
Anterior Webinar: As Organizações de Produtores Florestais (OPF) e os desafios do agrupamento de propriedades florestais - 23 de junho
Próximo Barragem de Santa Clara a menos de metade. Pequenos produtores sem água

Artigos relacionados

Nacional

Crise energética mantém-se apenas na gasolina

Situação de crise energética mantém-se apenas na gasolina. Empresário dizem que, por enquanto, o combustível nas Flores está “orientado”

Empresários das Flores afirmam que, […]

Sugeridas

AgroVida maio – UE: recessão histórica grita por orçamento histórico – editorial de Teresa Silveira

A Comissão Europeia (CE) falhou esta quarta-feira, 6 de maio, a apresentação de uma proposta de fundo de recuperação económica […]

Comunicados

Regantes europeus apelam ao investimento no regadio público

Os perímetros de rega públicos representam 75% da área de regadio no Sul da Europa e são um caso de sucesso de gestão democrática das águas públicas. As federações de regantes de […]a