Incêndios: Época mais critica termina com 65.000 hectares ardidos e morte de cinco bombeiros

Incêndios: Época mais critica termina com 65.000 hectares ardidos e morte de cinco bombeiros

A época mais crítica de incêndios florestais termina hoje com cerca de 65 mil hectares de área ardida e a morte de cinco bombeiros e de um piloto de um avião de combate aos fogos.

Nos últimos três meses, o dispositivo de combate aos fogos esteve na sua capacidade máxima ao estarem no terreno 11.825 operacionais, 2.746 equipas, 2.654 veículos e 60 meios aéreos, no denominado ‘reforçado – nível IV’.

A época mais critica de incêndios fica marcada pela morte de cinco bombeiros das corporações de Oliveira de Frades (distrito de Viseu), Miranda do Corvo (Coimbra), Leiria, Proença-a-Nova (Castelo Branco) e Cuba (Beja) durante as operações de combate.

Durante o combate a um incêndio no Parque Nacional da Peneda-Gerês morreu um piloto após a queda de um avião Canadair.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, pediu à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANPEC) a abertura de um inquérito sobre as circunstâncias das mortes, não existindo ainda conclusões.

O risco de incêndio foi este ano elevado o que levou o Governo a decretar por vários dias em julho, agosto e setembro a situação de alerta especial para o Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (DECIR).

Apesar de não estar disponível o relatório com os dados atuais, os números provisórios divulgados na página da internet do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) dão conta de que se registaram este ano 8.980 incêndios florestais que provocaram cerca de 65 mil hectares de área ardida.

Comparando com o relatório de 30 de setembro de 2019, verifica-se que se registaram este ano menos 1.379 ocorrências de fogos rurais, mas a área ardida aumentou cerca de 58%.

Depois da considerada época mais crítica terminar hoje, os meios de combate vão ser reduzidos na quinta-feira ao passar estar em vigor o nível de empenho operacional denominado “reforçado de nível III”, de acordo com a Diretiva Operacional Nacional (DON), que estabelece o DECIR.

Durante a primeira quinzena de outubro vão estar no terreno até 9.804 elementos de 2.277 equipas e até 2.154 veículos dos vários agentes presentes no terreno e até 60 meios aéreos.

A Rede Nacional de Postos de Vigia para prevenir e detetar incêndios vai continuar com os 230 postos de vigia até 15 de outubro.

Na segunda quinzena de outubro, a DON prevê uma nova redução dos meios de combate a incêndios.

Saiba quando se podem fazer queimas e queimadas em 2020

Comente este artigo
Anterior Pedrógão Grande: Ex-comandante distrital de Leiria diz que não se aprendeu com o fogo
Próximo 6 +1 boas razões para assistir ao Agroin

Artigos relacionados

Internacional

Record start to the year for EU agri-food exports

EU agri-food exports recorded their strongest ever start to a calendar year in value terms with shipments to third countries in January 2017 up nearly 10% compared with the same month last year. […]

Dossiers

Mais uma taxa contra quem gera riqueza – Manuel Carvalho

Saberá o Bloco quantas pequenas serrações existem em zonas sensíveis como a do pinhal interior? Conhecerá o seu papel na criação de […]

Nacional

Terrenos cadastrados podem ser regularizados sem multa

Os proprietários de terrenos situados em concelhos onde já há cadastro geométrico poderão fazer registo ao abrigo da nova lei sem terem de pagar multas. […]