Incêndios: área ardida desce 70% face à média dos últimos 10 anos em 2019

Os dados do 8.º Relatório Provisório de Incêndios Rurais, do ICNF — Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas de 2019 revelam que o número de incêndios e a área ardida em Portugal continuam a baixar, pelo segundo ano consecutivo.

Comparando os valores do ano de 2019 com o histórico dos 10 anos anteriores, assinala-se que se registaram menos 46% de incêndios rurais e menos 70% de área ardida relativamente à média anual do período.

O ano de 2019 apresenta, até ao dia 15 de Outubro, o segundo número mais reduzido de incêndios, a segunda mais reduzida área ardida e é a primeira vez, desde 2009, que a redução de área ardida ocorre em dois anos consecutivos.

Base de Dados Nacional de Incêndios Rurais

Em termos absolutos, a Base de Dados Nacional de Incêndios Rurais regista, no período compreendido entre 1 de Janeiro e 16 de Outubro de 2019, um total de 10.841 incêndios rurais, que resultaram em 41.622 hectares de área ardida, entre povoamentos (21.163 ha), matos (15.782 ha) e área agrícola (4.677 ha).

“Esta tendência só é possível graças ao esforço colectivo em que se têm envolvido as populações, com particular destaque para os agricultores e produtores florestais, cujo esforço merece o reconhecimento pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural”.diz uma nota de imprensa do Ministério liderado por Luís Capoulas Santos.

Relatório ICNF

Segundo o 8.º Relatório Provisório de Incêndios Rurais de 2019, a distribuição do número de incêndios rurais por classe de área ardida evidencia que em 2019 os incêndios com área ardida inferior a 1 hectare são os mais frequentes (85 % do total de incêndios rurais).

No que se refere a incêndios de maior dimensão, assinala-se, até à data, a ocorrência de 2 incêndios com área ardida superior ou igual a 1.000 hectares.

Consideram-se grandes incêndios sempre que a área ardida total seja igual ou superior a 100 hectares. Até 15 de Outubro de 2019 registaram-se 62 incêndios enquadrados nesta categoria, que resultaram em 27.284 hectares de área ardida, cerca de 66% do total da área ardida.

Análise das causas

Do total de 10.841 incêndios rurais verificados no ano de 2019, 8.640 foram investigados (80% do número total de incêndios – responsáveis por 88% da área total ardida). De estes, a investigação permitiu a atribuição de uma causa para 5.627 incêndios (65% dos incêndios investigados – responsáveis por 52% da área total ardida).

Até à data, as causas mais frequentes em 2019 são: incendiarismo – imputáveis (29%) e queimadas de sobrantes florestais ou agrícolas (16%).

Conjuntamente, as várias tipologias de queimadas e queimas representam 33% das causas apuradas. Os reacendimentos representam 10% do total de causas apuradas, num valor inferior face à média dos 10 anos anteriores (18%).

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior IV Encontro de Estudantes de Doutoramento em Ambiente e Agricultura - EEDAA - 11 e 12 de novembro - Évora
Próximo Florestas no Ambiente não alarma

Artigos relacionados

Últimas

Homem morre num acidente de trator agrícola em Torre de Moncorvo

Um homem, com cerca de 70 anos, morreu esta sexta-feira à tarde, na sequência de um acidente com um trator agrícola. O homem trabalhava numa propriedade privada em Souto da Velha, no […]

Sugeridas

A pequena e a grande agricultura em Portugal Continental: quem irá ganhar com a Reforma da PAC pós 2020?

Num anterior artigo debrucei-me sobre os potenciais ganhos ou perdas de rendimento das diferentes regiões agrícolas de Portugal Continental no contexto de dois cenários alternativos […]

Nacional

Cimeira europeia: António Costa à procura de €2 mil milhões na Coesão

Suécia e Holanda pedem cortes maiores na política de coesão. O desafio de António Costa é o de não perder o que está em cima da mesa e somar-lhe […]