Incêndios. Alerta especial vermelho deve ser prolongado, mas com reajustes no território

Incêndios. Alerta especial vermelho deve ser prolongado, mas com reajustes no território

O estado de alerta especial de nível vermelho, atualmente em vigor em 10 distritos do continente, deverá ser prolongado para além de sábado, ainda que a Proteção Civil admitia reajustes nos distritos que serão colocados a vermelho e laranja.

“Nós temos um estado de alerta especial de nível vermelho para 10 distritos e de nível laranja para oito, que vigorará até amanhã [sábado] às 23:59 e que será alvo de ponderação amanhã [sábado] durante o dia, mas que provavelmente irá continuar pese embora deva haver um ajuste nos distritos que estão atualmente a vermelho e a laranja”, disse Belo Costa, comandante de Agrupamento Distrital da Proteção Civil, que fez hoje na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide (Oeiras) um ponto de situação dos incêndios rurais.

O Governo decretou situação de alerta em todo território continental devido às previsões meteorológicas que apontam para um “significativo agravamento do risco de incêndio rural”, que se seguiu à ativação do estado de alerta especial de nível vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, em vigor nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Porto e Aveiro.

O restante continente encontra-se em estado de alerta especial de nível laranja, o segundo mais grave da escala de risco.

Até às 18:30 havia oito incêndios ativos, sendo os mais preocupantes os que lavravam em Paredes, distrito do Porto, e em Arrabal, distrito de Leiria, ocorrências em relação aos quais Belo Costa antecipou que “dentro de algumas horas ficarão dominadas”. Estes fogos eram também os que empenhavam mais meios de combate.

A Proteção Civil registou hoje 150 fogos, dos quais 50 no distrito do Porto, coincidindo com as previsões que levaram a colocar os distritos do norte em alerta vermelho. O incêndio hoje registado em Valongo, Porto, foi o que mais trabalho deu às equipas de combate.

“Hoje foi um dia particularmente difícil, que acompanhou aquilo que era a previsão de agravamento da situação meteorológica do país. Essa severidade trouxe consigo um aumento substancial das ocorrências e portanto uma dificuldade acrescida na supressão dessas ocorrências”, disse o comandante de Agrupamento Distrital da Proteção Civil.

Belo Costa frisou que os meios têm respondido “muito bem a toda a exigência”, “sem acidentes e sem perdas materiais”, mantendo-se a capacidade de resposta em níveis “bastante elevados”.

“A nossa estratégia revelou-se acertada, não vemos por isso necessidade de reforço de meios nem de reajustar o seu posicionamento no território”, disse.

Em comunicado hoje divulgado, o Estado-Maior-General das Forças Armadas adiantou que desde hoje e até domingo “uma aeronave P-3C CUP+, com uma tripulação de 10 militares, da Força Aérea Portuguesa, está a realizar […] ações de patrulhamento e fiscalização no âmbito da prevenção de incêndios florestais”.

As ações de patrulhamento decorrem nos 10 distritos colocados em estado de alerta especial vermelho e resultam “de um pedido da Guarda Nacional Republicana ao Estado-Maior-General das Forças Armadas”.

O que fazer para ter um verão seguro

Portugal encontra-se no período crítico de incêndios rurais, que decorre entre os dias 1 de julho e 30 de setembro.

Durante esta fase, importa redobrar as atenções quanto aos riscos. Estas são algumas das recomendações de prevenção:

  • Consulte o risco de incêndio da sua área de residência aqui.
  • Prepare um kit de evacuação onde constem artigos essenciais a utilizar em caso de emergência, como os documentos mais importantes do agregado familiar, estojo de primeiros socorros, medicação habitual e água e comida não perecível, entre outras coisas
  • Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, informe as autoridades;
  • Informe-se junto da sua Junta de Freguesia ou Câmara Municipal quanto à localização dos abrigos.

Em caso de incêndio, siga estes passos:

  • Ligue de imediato para o 112;
  • Se não correr perigo e possuir vestuário adequado (tipicamente roupa de manga comprida, botas e luvas), tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos;
  • Se o incêndio estiver perto da sua casa, avise os vizinhos, corte o gás e molhe abundantemente as paredes e os arbustos que rodeiam a casa.
  • Retire a sua viatura dos caminhos de acesso ao incêndio;
  • Consulte a lista completa de recomendações, aqui.

Proibições:

Durante o período crítico estão em vigor várias proibições para minimizar o risco de incêndio. Entre elas constam:

  • Queimadas sem autorização municipal;
  • Utilização de fogareiros e grelhadores fora de espaços autorizados;
  • Fumar ou fazer lume em espaços florestais;
  • Lançar balões de mecha acesa e foguetes;
  • Veja a lista completa, aqui.

Contactos:

  • Linha de Emergência: 112
  • Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil: 800 246 246
  • GNR Trânsito: 808 201 855
  • Infraestruturas de Portugal: 707 500 501
  • Linha SOS Ambiente e Território: 808 200 520

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Três anos depois de Pedrógão. Floresta continua sem ordenamento
Próximo Moçambique lança “alerta máximo” para possível praga de gafanhotos no norte do país

Artigos relacionados

Últimas

Navigator apresenta marca de papel Discovery mais ecológica e eficiente

A The Navigator Company acaba de lançar um novo rebranding no papel de escritório Discovery, marca líder na Europa na sua categoria de produto […]

Últimas

Exportações agroalimentares cresceram 12% num mês

Ministra da Agricultura revelou este indicador para mostrar a capacidade do setor de recuperação e de se adaptar ao atual contexto pandémico […]

Últimas

Seca: Estratégia para reutilizar água confronta escassez com necessidades de consumo

No documento “Água para Reutilização – Usos não Potáveis”, apresentado a 22 de março numa conferência em Lisboa, o cenário traçado começa por sublinhar que dos 10 anos mais secos, […]