Importadores e jornalistas em missão no Douro para potenciar vinho e turismo

Importadores e jornalistas em missão no Douro para potenciar vinho e turismo

Importadores e jornalistas estrangeiros vão descobrir o Douro, em setembro, no âmbito de dois projetos ligados aos vinhos e turismo que visam potenciar negócios e contribuir para o aumento das exportações, anunciou hoje a Associação Empresarial Nervir.

O “Soul Wines – Vinhos com Alma” e o “Soul Wines – Eno&Taste Tour” estão a ser desenvolvidos pela Associação Empresarial de Vila Real, a Nervir, e têm como objetivo “potenciar e criar sinergias” entre dois dos principais produtos da região: o turismo e o vinho.

No âmbito do projeto de internacionalização “Soul Wines – Vinhos com Alma”, vai decorrer a “Douro Wine Business Trip”, entre 20 e 24 de setembro, uma missão inversa que leva ao Douro jornalistas e importadores de vinhos que vão visitar as quintas de produtores do Douro e Porto, aderentes ao projeto.

Participam na iniciativa importadores e jornalistas de vinhos provenientes do Reino Unido, Rússia, Alemanha, Países Baixos, Polónia, Eslováquia e Bulgária.

“Pretende-se dar a conhecer as quintas dos produtores, com visitas às vinhas e aos armazéns, acompanhar o processo produtivo e, através da organização de provas de vinhos na quinta, potenciar os negócios com os importadores presentes, o que foi sempre conseguido em anteriores edições”, salientou a Nervir, em comunicado.

Do roteiro fazem parte a Quinta dos Avidagos, Quinta dos Lagares, Quinta do Mourão, Odisseia Wines, Aneto Wines, Adega Cooperativa de Favaios, Domingos Alves de Sousa, Coimbra de Mattos, Quinta das Lamelas, Quinta da Barca e Quinta do Silval.

O “Soul Wines”, de acordo com a associação, “visa a capacitação para a internacionalização” das pequenas e médias empresas produtoras e exportadoras de vinhos da região do Douro, através de ações de promoção da oferta nacional, contribuindo, assim, para “o aumento da exportação e competitividade das empresas do setor”.

Em 2020, a Região Demarcada do Douro representou 36% da produção nacional de vinho com denominação de origem e 20% da produção total.

Segundo dados divulgados pelo Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), com sede no Peso da Régua, os vinhos do Douro e do Porto “representam 69% das exportações, correspondentes a 113 milhões de litros, dos quais 57% são de vinho do Porto”.

No ano passado, apesar da pandemia, o vinho do Porto foi comercializado em 105 mercados, cujos principais importadores são França, Reino Unido, Países Baixos, EUA, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Canadá e Suíça.

De acordo com informação disponível na página ‘online’ do IVDP, já em 2021, entre janeiro e junho, as vendas de vinho do Porto recuperaram e aumentaram 19% em quantidade e quase 25% em volume de negócio (152 milhões de euros), comparativamente com igual período do ano passado.

Os vinhos DOC (Denominação de Origem Controlada) Douro registaram, no mesmo período, um aumento no volume de negócios para os cerca de 84 milhões de euros (mais 26,5%) e 17,5% em quantidade.

A Nervir disse que vai também decorrer, entre 22 a 25 de setembro, uma visita de jornalistas e ‘opinion makers’ do setor do turismo, provenientes de Espanha, Reino Unido, Alemanha, Bélgica, Suíça e Estados Unidos da América (EUA).

Esta iniciativa insere-se no “Soul Wines – Eno&Taste Tour”, projeto que visa “promover nos mercados externos a região do Douro enquanto destino turístico, dando a conhecer quintas, hotéis, restaurantes e locais de interesse”.

Comente este artigo
Anterior Direção Regional de Agricultura do Centro está a avaliar os prejuízos causados pelas chuvas que atingiram o Baixo Mondego
Próximo Publicada "Estratégia Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional"

Artigos relacionados

Últimas

Cotações – Cortiça – 20 a 26 de setembro de 2021

Na semana em análise, prosseguiu a campanha de comercialização da cortiça 2021 na área de mercado de Trás-os-Montes e foi dada como encerrada […]

Nacional

Portugal estima produzir 25 mil toneladas de peixe em aquacultura a partir de 2030 – ministro

A produção de peixe em aquacultura em Portugal deverá atingir 25.000 toneladas por ano a partir de 2030 e o contributo do setor do pescado no total das exportações será […]

Últimas

Amêijoa asiática pode ajudar no tratamento de efluentes na produção de azeite

A amêijoa asiática tem a capacidade de remover metais e compostos orgânicos recalcitrantes (não biodegradáveis ou de difícil biodegradação), como os que se encontram nos efluentes da indústria de produção do azeite. […]