Herdade Grande da Vidigueira vai gastar meio milhão a renovar vinha

Herdade Grande da Vidigueira vai gastar meio milhão a renovar vinha

A Herdade Grande em Vidigueira vai investir meio milhão na renovação das suas célebres vinhas nos próximos cinco anos, segundo os promotores, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

Reestruturar a vinha, reforçar o peso dos vinhos de maior valor acrescentado e crescer no enoturismo são apostas de António e Mariana Lança, 3.ª e 4.ª geração da família que gere a centenária empresa da Vidigueira e que renovaram a equipa de enologia, com a contratação de Diogo Lopes, tendo já como resultado deste trabalho o lançamento de novos vinhos no mercado, como os Herdade Grande Amphora Branco e Tinto 2018 e o Herdade Grande Sousão 2017.

Porém Mariana Lança, diretora-geral da Herdade Grande, considera que é necessário apostar no aumento da produção e que pelo menos metade dos 60 hectares de vinha, com especial enfoque nas castas tradicionais alentejanas, precisa ser replantada, o que faz estimar um investimento de cerca de 500 mil euros nos próximos anos. “Vamos apostar muito nas castas regionais, reforçando a Tinta Grossa e a Tinta Caiada, e investindo no Alicante Bouschet e na Touriga Nacional que têm provas dadas”, explica.

Em 1920, um agricultor alentejano, vindo de Aljustrel, estabeleceu-se a apenas cinco quilómetros da Vidigueira, fundando as bases da família Lança e iniciando um percurso de quatro gerações, que viria a tornar a Herdade Grande um dos mais emblemáticos nomes do Alentejo. Em 1980, foi já o neto e atual proprietário, o agrónomo António Lança, que lançou uma forte aposta na viticultura e começou por desenhar o património de castas hoje existente.

Brasil, Canadá, Angola e países europeus são os principais mercados de destino dos vinhos da Herdade Grande, que destina ao exterior 40% da sua produção. Além do vinho, a empresa exporta, também, azeite, em especial para a Alemanha e o Brasil, além dos restantes mercados europeus.

Imagem de capa de https://grandeconsumo.com/

O artigo foi publicado originalmente em Tribuna Alentejo.

Comente este artigo
Anterior Curso de poda de fruteiras na Agrária de Coimbra vai ter uma 2.ª edição - 22 de fevereiro
Próximo Previsão Mensal Fevereiro 2020

Artigos relacionados

Notícias Biossoluções

AlgaEnergy desenvolve projecto de I+D+i com a Universidade de Cádiz

A empresa espanhola AlgaEnergy e a Universidade de Cádiz, também de Espanha, têm em curso um projecto para «desenvolver técnicas de […]

Últimas

Cotações – Produtos Hortícolas – 17 a 23 de maio 2021

Abóbora – Na região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, registou-se uma descida da cotação máxima e da mais frequente devido ao aumento da oferta. Procura média […]

Últimas

Uma reflexão sobre o toiro bravo – Joaquim Grave

A ganadaria brava não pode acabar num túnel escuro de um matadouro. O sentido da sua vida é a lide. O toiro bravo é arte, é cultura e é liberdade. A […]