Grupo Sovena adquire participação em empresa chilena de azeite

Grupo Sovena adquire participação em empresa chilena de azeite

Dona do Oliveira da Serra comprou uma participação de 24,61% na chilena Soho. O valor do negócio não foi avançado

O grupo Sovena, que detém as marcas Oliveira da Serra e Fula, comprou uma participação de 24,61% na chilena Soho SpA, produtora local de azeite, revelou a empresa portuguesa, em comunicado, sem indicar o valor da operação.

Esta empresa conta com “vendas na ordem dos 15,5 milhões de euros que correspondem a 3,5 mil litros de azeite”, sendo “a maior companhia de azeite do Chile com uma quota direta e indireta de 40%”, indicou a Sovena na mesma nota.

O grupo Soho tem uma estrutura acionista familiar e emprega 80 pessoas, referiu a Sovena, adiantando que a empresa chilena “atualmente tem já 220 ha [hectares] de plantações próprias de oliveiras e acordo para fornecer a produção de 450 ha de plantações dos seus parceiros, exportando para o Brasil, EUA e Alemanha”, segundo o comunicado.

Os grupos Soho e Sovena “partilham a mesma visão e estratégia, uma vez que ambos estão presentes em toda a cadeia de valor e comercializam as suas próprias marcas”, de acordo com a mesma nota.

Citado na mesma nota, o presidente executivo da Sovena, Jorge de Melo, indicou que “é muito interessante” para a empresa entrar no mercado chileno, considerando que este país “é um novo operador no mundo do azeite, produzindo azeite de alta qualidade, aspeto já reconhecido em todo o mundo”.

O líder do grupo acredita que, ao entrar neste mercado, a Sovena garante “os elementos que têm sido a base de uma estratégia eficiente no plano de expansão internacional, especialmente na América Latina, América e EUA”.

Por sua vez, o presidente da Soho, Juan Carlos Fabres Rivas, referiu que a chilena tem “muitas coisas em comum” com a Sovena, “desde valores e estilo, estruturas de propriedade e até estratégias comerciais e de marca”.

Para o responsável, esta parceria irá contribuir para “tornar o Chile um novo polo de exportação de azeites”.

Em 09 de junho, a Sovena anunciou que concluiu um investimento de quatro milhões de euros na unidade industrial do Barreiro, reforçando a capacidade de embalamento e armazenamento da empresa.

“A aposta na unidade industrial situada no Barreiro vem reforçar a capacidade de embalamento e armazenamento da Sovena e fortalece a estratégia de internacionalização do grupo”, referiu o grupo, em comunicado, nesse dia, adiantando que “o investimento inclui a montagem de uma nova linha que permitiu duplicar o volume de embalamento de azeites, crescendo a capacidade de embalamento de vidro de seis mil garrafas para 15 mil garrafas por hora”.

Este investimento inclui também “o alargamento da área de armazenamento, o que irá representar um forte apoio para a exportação de uma outra importante marca da Sovena, Andorinha, com grande expressão no mercado brasileiro”.

O grupo conta com dois lagares e duas unidades industriais em Portugal e emprega um total de mais de 1.200 colaboradores, com uma presença ativa em mais de 70 países.

Em 2019, a Sovena atingiu uma faturação de 1.200 milhões de euros, tendo comercializado mais de 200 mil toneladas de azeite.

O artigo foi publicado originalmente em Dinheiro Vivo.

Comente este artigo
Anterior Douro vive “desastre” nas vésperas da vindima. Setor dos vinhos pede apoio do Estado
Próximo Movimento Causa do Douro defende posição dos viticultores em reunião com Ministério da Agricultura

Artigos relacionados

Nacional

Cerca de 80% das árvores plantadas em zonas de incêndio morreram

Entre 70 a 80% das árvores plantadas para reflorestar as áreas ardidas nas matas nacionais do litoral morreram, anunciou esta sexta-feira o presidente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). […]

Últimas

Adotar uma laranjeira e receber a colheita em casa? Está aí o ‘crowdfarming’

[Fonte: Visão]

O crowdfarming é um novo conceito que permite ter uma relação mais próxima com o produtor e receber em casa o fruto do investimento. […]

Últimas

Portugueses não seguem a dieta ideal e falham as recomendações da OMS

Os hábitos alimentares dos portugueses estão a ter impacto no aumento do cancro, das doenças cardiovasculares e até das demências, revelam vários estudos. […]