Governo e PCP reagem à situação atual do setor leiteiro

Governo e PCP reagem à situação atual do setor leiteiro

O Governo reconheceu que o setor leiteiro tem atravessado uma situação “muito complexa”, com o aumento dos custos de produção, adiantando que estão a ser avançados apoios. Por sua vez, o PCP defendeu “apoios extraordinários”, bem como um regime de regulação do mercado, apontando para um “setor a definhar”, avança a agência Lusa.

Governo reconhece “situação muito complexa”

“O setor leiteiro tem atravessado uma situação muito complexa, difícil, com o crescimento significativo dos custos de produção”, defendeu o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Rui Martinho.

O governante recordou que foram tomadas um conjunto de medidas de apoio ao setor, nomeadamente, com a criação de uma comissão especializada de acompanhamento e monitorização. Por outro lado, foram estabelecidas dotações específicas, no âmbito dos concursos do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) 2020.

“Uma outra medida que visou o setor leiteiro foi a de apoio ao investimento no tratamento dos efluentes pecuários”, apontou. A par disto, “está em vias de ser aberto” um aviso destinado às organizações interprofissionais do setor, tendo em vista a melhoria da rentabilidade económica da fileira.

Já a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, lembrou que a subcomissão da Plataforma de Acompanhamento das Relações na Cadeia Agroalimentar (PARCA) vai voltar a reunir-se no início de dezembro, altura em que serão apresentadas “propostas concretas” e iniciativas para resolver os problemas do setor.

A titular da pasta da Agricultura sublinhou ainda que Portugal é excedentário na produção de leite e manteiga e deficitário na de queijo e iogurte. “Esperamos sinceramente que o setor possa reorganizar-se e acrescentar valor para conseguirmos ter um setor justo, desde a produção à transformação, para que também o preço seja justo da produção ao consumidor”, concluiu.

“Apoios extraordinários” é o apelo do PCP

O PCP afirmou querer “apoios extraordinários” para produtores de leite. Em declarações à agência Lusa, o deputado comunista João Dias acusou o Governo de “continuar a olhar para o setor a definhar” e de não tomar medidas, alertando que “muitas explorações estão no caminho do encerramento”.

Entre as soluções sugeridas pelos comunistas estão “apoios extraordinários”, nomeadamente para suportar custos relativos à alimentação dos animais, energia, adubos e até a produção de forragens.

Para o PCP, existe também a necessidade de um regime de regulação do mercado: “O Governo deve fazer diligências junto dos outros estados-membros da União Europeia no sentido de ser criado um regime de regulação do mercado, como já existiu no caso das quotas leiteiras”, apontou.

De acordo com o deputado, as sugestões do PCP pretendem também “combater a especulação que é feita pelas cadeias de distribuição, porque a verdade é que o preço pago ao produtor é muito baixo”.

O custo do litro de leite pago ao produtor em outubro passado em Portugal foi de 30 cêntimos, enquanto a média paga na União Europeia é de 38 cêntimos.

Agravamento da crise dos produtores de leite

Governo reconhece que setor leiteiro tem atravessado “situação muito complexa”

PCP quer “apoios extraordinários” para produtores de leite e alerta para “setor a definhar”

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Força Aérea promoveu caça ao javali no Campo de Alcochete autorizada pelo ICNF
Próximo Porto de Lisboa movimentou em 2021 mais 11% de citrinos importados

Artigos relacionados

Nacional

AICEP: Prémio Melhor Investimento atribuído à Simoldes Plásticos

Simoldes Plásticos foi a grande vencedora do prémio AICEP na categoria do investimento. A empresa que pertence ao Grupo Simoldes dedica-se ao desenvolvimento e produção de componentes para o setor automóvel. […]

Ofertas

Oferta de emprego – Técnico/a de Unidade de Ensaios de Resíduos – Agrónomo – Setúbal

Presente em Portugal há mais de 50 anos, a ASCENZA, fruto da transformação da SAPEC AGRO, é uma empresa referência na proteção de culturas desde a década de 1960 […]

Nacional

Incêndios? Temos que “achatar a curva” – João Adrião

Os incêndios visitam-nos em curvas também elas com picos pronunciados. Acontece que, neste caso, vaga após vaga, teimamos em enfrentar o pico de […]