Governo dos Açores vai dar apoio excepcional para compensar prejuízos na floricultura

Governo dos Açores vai dar apoio excepcional para compensar prejuízos na floricultura

O secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou, na Ilha Terceira, que o Governo dos Açores vai aprovar em breve um apoio financeiro, com carácter excepcional, para compensar a perda de rendimentos sofrida pelos produtores de flores na Região devido à pandemia.

“O modelo de apoio e o respectivo enquadramento legal estão a ser ultimados e resultam da plena articulação e do diálogo permanente que tem existido da parte do Governo dos Açores quer com os produtores, quer com as suas organizações representativas”, referiu João Ponte, em declarações no final de uma reunião com a direcção da Fruter – Associação de Produtores de Frutas, Produtos Hortícolas e Florícolas da Ilha Terceira.

O governante salientou que a pandemia causou prejuízos, por exemplo, aos produtores de próteas, cuja produção é inteiramente orientada para a exportação para o mercado holandês e que este ano iria também para os Estados Unidos, mas, em virtude dos constrangimentos verificados nos transportes nos últimos meses devido à pandemia, acabaram por não ser expedidas, com claros prejuízos no rendimento dos produtores.

Reerguer o sector

“Nesta fase, o importante é olhar em frente e reerguer um sector que vinha manifestando um extraordinário crescimento e relevância em termos económicos nos últimos anos, que gera emprego e riqueza”, afirmou João Ponte, acrescentando que “o Governo Regional não deixará de fazer o que lhe compete” para ajudar o sector a ultrapassar uma fase menos positiva e perspectivar um futuro mais próspero.

O secretário Regional salientou que o Governo dos Açores tem estado sempre atento às necessidades do sector e ao lado dos produtores, lembrando, por exemplo, que, no âmbito do POSEI, foi criada uma ajuda específica para o acondicionamento de próteas, que contempla um apoio de cinco cêntimos por haste, sendo que a ajuda é paga com base na quantidade de hastes comercializadas, com calibre igual ou superior a 40 centímetros.

Por outro lado, destacou o papel que a Fruter tem desempenhado enquanto entidade de referência para o Governo dos Açores e promotora do desenvolvimento da horticultura, da fruticultura e da floricultura, sem esquecer também a produção de mel.

“A Fruter é um bom exemplo pelo trabalho realizado no desenvolvimento da diversificação agrícolas, na criação de valor, pelo investimento que tem vindo a realizar na modernização das instalações e abertura de novos mercados”, considerou João Ponte.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Direcção Regional de Agricultura aposta na valorização da cultura da cerejeira na Madeira
Próximo Simpósio Internacional de Morango - 1 a 4 de maio - Rimini

Artigos relacionados

Nacional

Portugal leva 75 produtores de vinho à estreia da Vinexpo Paris

Os vinhos portugueses vão estar em evidência em França na 1.ª edição da Vinexpo Paris, de 10 a 12 de Fevereiro. […]

Revistas

Frutos Secos

Consulte aqui todos os artigos do Grande Plano de Dezembro dedicado aos Frutos Secos: […]

Últimas

Granizo provoca prejuízos na região do vinho do Dão

A tarde desta quarta-feira é de má memoria para alguns viticultores, que viram as suas vinhas afectadas pelo granizo. Oliveira de Barreios, no concelho de Viseu […]