Governo dos Açores reforça competências técnicas do Laboratório Regional de Veterinária

O secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje, 22 de Outubro, que o Laboratório Regional de Veterinária (LRV) já possui um novo equipamento de ponta, que permite identificar e quantificar resíduos em amostras alimentares, um investimento superior a 300 mil euros que reforça as competências técnicas de um serviço essencial ao desenvolvimento da agricultura no Açores.

“O novo equipamento está agora em fase de testes e prevê-se que entre em funcionamento até ao final do ano, dado que ainda decorrerá um período de formação dos técnicos do Laboratório”, referiu João Ponte, à margem de uma visita ao Laboratório Regional de Veterinária, em Angra do Heroísmo.

Visita do Governo Regional à Ilha Terceira

No primeiro dia da visita do Governo Regional à Ilha Terceira, o governante considerou que este novo equipamento de ponta vai contribuir para continuar a elevar os parâmetros de qualidade das produções regionais e reforçar as competências técnicas do LRV, cuja competência é reconhecida dentro e fora da Região.

João Ponte destacou que a aquisição de um sistema hifenado de cromatografia líquida de ultra alta performance com espectrometria de massa tandem (UHPLC – MS/MS) permite implementar nos Açores uma nova metodologia de análise de moléculas nas áreas de controlo de resíduos de contaminantes ambientais, entre os quais cloratos e percloratos, e de medicamentos veterinários em animais e produtos de origem vegetal.

Investir na formação

Os serviços prestados pelo Laboratório Regional de Veterinária são imprescindíveis ao nível da implementação de planos obrigatórios de vigilância, da sanidade, da segurança e da higiene alimentar, pelo que o secretário Regional da Agricultura e Florestas frisou ser importante continuar a investir na formação, em mais meios técnicos e em mais equipamentos para se continuar a dar resposta às necessidades do sector agrícola nos Açores.

“Trata-se de uma valência de grande importância para o desenvolvimento e para a valorização da produção agrícola regional, que está em permanente desenvolvimento, de modo a dar uma resposta cabal, por exemplo, aos desafios que se colocam ao nível da sanidade animal”, frisou João Ponte.

No ano passado, o Laboratório Regional de Veterinária realizou mais de 1,2 milhões de análises.

Além das análises no âmbito dos planos oficiais de sanidade animal, de vigilância e manutenção do estatuto sanitário dos animais e dos efectivos da Região, de higiene pública e diagnósticos de doenças, o Laboratório Regional de Veterinária assegura também análises no âmbito da inspecção de alimentos e segurança alimentar.

O Laboratório Regional de Veterinária tem actualmente 71 colaboradores e está acreditado pelo Instituto Português da Acreditação (IPAC) para a realização de 56 ensaios.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Cientos de agricultores piden ante el PE una reforma de la PAC “que beneficie a los productores”
Próximo Revolução na suinicultura. Alentejo vai acolher maior unidade nacional de abate

Artigos relacionados

Últimas

Investigadores estudam vegetação mediterrânica preferida por cabras em pastoreio


Investigadores da Estação Zootécnica Nacional (EZN), em Santarém, seguem há um ano um rebanho de cabras para saberem que vegetação mediterrânica preferem comer, […]

Nacional

Bruxelas aprova cofinanciamento até 500 milhões na área da defesa

A Comissão Europeia aprovou, esta terça-feira, vários programas de trabalho para cofinanciar projetos industriais conjuntos no domínio da defesa na União Europeia (UE) em 2019-2020, […]

Últimas

Mercadona altera relação com fornecedores a pensar nos clientes

[Fonte: O Jornal Económico]
A medida vai ter impacto na forma como a Mercadona se relaciona com os cerca de 1.400 fornecedores para produtos da marca própria da cadeia de supermercados, […]