Governo dos Açores reforça competências técnicas do Laboratório Regional de Veterinária

O secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje, 22 de Outubro, que o Laboratório Regional de Veterinária (LRV) já possui um novo equipamento de ponta, que permite identificar e quantificar resíduos em amostras alimentares, um investimento superior a 300 mil euros que reforça as competências técnicas de um serviço essencial ao desenvolvimento da agricultura no Açores.

“O novo equipamento está agora em fase de testes e prevê-se que entre em funcionamento até ao final do ano, dado que ainda decorrerá um período de formação dos técnicos do Laboratório”, referiu João Ponte, à margem de uma visita ao Laboratório Regional de Veterinária, em Angra do Heroísmo.

Visita do Governo Regional à Ilha Terceira

No primeiro dia da visita do Governo Regional à Ilha Terceira, o governante considerou que este novo equipamento de ponta vai contribuir para continuar a elevar os parâmetros de qualidade das produções regionais e reforçar as competências técnicas do LRV, cuja competência é reconhecida dentro e fora da Região.

João Ponte destacou que a aquisição de um sistema hifenado de cromatografia líquida de ultra alta performance com espectrometria de massa tandem (UHPLC – MS/MS) permite implementar nos Açores uma nova metodologia de análise de moléculas nas áreas de controlo de resíduos de contaminantes ambientais, entre os quais cloratos e percloratos, e de medicamentos veterinários em animais e produtos de origem vegetal.

Investir na formação

Os serviços prestados pelo Laboratório Regional de Veterinária são imprescindíveis ao nível da implementação de planos obrigatórios de vigilância, da sanidade, da segurança e da higiene alimentar, pelo que o secretário Regional da Agricultura e Florestas frisou ser importante continuar a investir na formação, em mais meios técnicos e em mais equipamentos para se continuar a dar resposta às necessidades do sector agrícola nos Açores.

“Trata-se de uma valência de grande importância para o desenvolvimento e para a valorização da produção agrícola regional, que está em permanente desenvolvimento, de modo a dar uma resposta cabal, por exemplo, aos desafios que se colocam ao nível da sanidade animal”, frisou João Ponte.

No ano passado, o Laboratório Regional de Veterinária realizou mais de 1,2 milhões de análises.

Além das análises no âmbito dos planos oficiais de sanidade animal, de vigilância e manutenção do estatuto sanitário dos animais e dos efectivos da Região, de higiene pública e diagnósticos de doenças, o Laboratório Regional de Veterinária assegura também análises no âmbito da inspecção de alimentos e segurança alimentar.

O Laboratório Regional de Veterinária tem actualmente 71 colaboradores e está acreditado pelo Instituto Português da Acreditação (IPAC) para a realização de 56 ensaios.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Cientos de agricultores piden ante el PE una reforma de la PAC “que beneficie a los productores”
Próximo Revolução na suinicultura. Alentejo vai acolher maior unidade nacional de abate

Artigos relacionados

Últimas

Fogo na Pampilhosa da Serra mobiliza 12 meios aéreos e mais de 250 bombeiros

O incêndio deflagrou pouco depois das 13:00. Fonte do CDOS de Coimbra, em declarações à agência Lusa, às 14:35, disse não haver habitações em […]

Sugeridas

Seis áreas críticas da “reforma florestal”

[Fonte: Público]
A política para os eucaliptos e o reforço dos poderes das autarquias são os principais focos de tensão de uma reforma que envolve 12 diplomas legais. […]

Nacional

Incêndios: Cerca de 170 bombeiros e nove meios aéreos combatem chamas em Tomar

Pelas 17:20, o combate às chamas estava a ser assegurado por “169 operacionais”, auxiliados por meios terrestres e aéreos, de acordo com Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC). […]