Governo disponibiliza 18 milhões de euros para melhorar produtividade na plantação de eucalipto

Governo disponibiliza 18 milhões de euros para melhorar produtividade na plantação de eucalipto

[Fonte: Observador]

O Governo vai disponibilizar mais de 18 milhões de euros para melhorar a produtividade na plantação de eucalipto, afirmou esta segunda-feira o primeiro-ministro, António Costa.

“O grande desafio que temos pela frente é a melhoria da produtividade na plantação do eucalipto. A produtividade média que temos por hectare é baixíssima e temos condições de a melhorar significativamente”, afirmou António Costa, na Figueira da Foz, durante a sessão de assinatura de contratos de investimento de 125 milhões de euros com o grupo Altri.

 O primeiro-ministro situou a produção atual de eucalipto em cinco toneladas por hectare e frisou que melhorar a produtividade significa “subir significativamente” as áreas produzidas por cada hectare.

Na ocasião, anunciou que durante 2017 o Governo, através do ministério da Agricultura, vai abrir um concurso de financiamento de mais de 18 milhões de euros “exclusivamente dedicados” a investimentos que permitam a melhoria da produtividade do eucalipto.

António Costa defendeu que o investimento necessário na floresta portuguesa seja feito no aumento da produtividade e “não necessariamente aumentando as áreas de qualquer tipo de povoamento” e que aumentar a produtividade significa uma melhor gestão, melhor ordenamento, melhores espécies e melhores condições de exploração dos terrenos.

O primeiro-ministro frisou que em Portugal “não são só os matos que estão ao abandono, há muita área florestal e muita área de eucalipto também ao abandono”, em resposta à intervenção na sessão de Paulo Fernandes, um dos dois diretores executivos do grupo Altri, proprietário das celuloses Celbi e Celtejo, que disse que é um “contrassenso” Portugal ter a “maioria” do seu território ocupado por mato.

O responsável do grupo Altri recusou ainda que a indústria papeleira e de pasta de papel seja adepta de monoculturas e também que o peso do eucalipto na floresta portuguesa esteja a aumentar.

“Não é verdade, o seu peso aumenta numa área florestal cada vez menor” e onde a florestação “é residual, e quando é mato”, argumentou Paulo Fernandes, considerando que a “simples proibição” da plantação de novas áreas de eucalipto “preferindo que aí floresça mato, é a todos os títulos pouco recomendável”.

“O nosso desafio é o de aumentar a produtividade da floresta de eucalipto mas também rentabilizar áreas abandonadas”, argumentou Paulo Fernandes.

O diretor executivo da Altri criticou ainda, sem nomear, aqueles que “sentados em gabinetes e não sabendo o que é a floresta, se limitam a criar obstáculos, como se o piorar das condições de gestão da floresta aproveitasse em favor da sociedade e do país”.

Paulo Fernandes concluiu, deixando o aviso que a Altri “está disponível e comprometida a investir em Portugal” mas se o país continuar a “tratar mal” a sua floresta, que designou de petróleo verde, “será sempre mais difícil encontrar racional para esses investimentos”.

Comente este artigo
Anterior A nova versão da Muuu traz uma ferramenta de marketing agrícola digital para as explorações pecuárias
Próximo XI Congresso Nacional do Milho -7 e 8 de Fevereiro 2017 - Lisboa

Artigos relacionados

Nacional

“Fragilidade do sistema está na relação” entre bombeiros e Proteção Civil

[Fonte: Rádio Renascença]

Leia também:

O Observatório Técnico Independente criado pelo Parlamento para acompanhar o trabalho dos incêndios florestais apontou esta quarta-feira como um dos “aspetos mais frágeis” do sistema o relacionamento entre os bombeiros voluntários e a Autoridade Nacional de Proteção Civil. […]

Últimas

Imagina-se a comer insetos? Pode vir a acontecer em Portugal

[Fonte: Correio da Manhã]

Setor de produção alimentar com recurso a insetos está a crescer e pode surgir nova legislação europeia já este ano.

Comer alimentos produzidos com farinha de insetos pode vir a ser possível em Portugal. O tema foi o foco da sexta edição do AgroIn, […]

Últimas

Macfrut 2020 realiza-se de terça a quinta

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

A 37.ª Macfrut vai decorrer de 5 a 7 de Maio de 2020, em Rimini, Itália. O certame internacional organizado pela Cesena Fiera altera assim os seus dias de realização: até à data, tinha sempre lugar de quarta-feira a sexta-feira; […]