Governo aprovou mais 37 projetos de reabilitação de regadios

Governo aprovou mais 37 projetos de reabilitação de regadios

[Fonte: O Jornal Económico]

Os 37 projetos agora aprovados pelo Ministério da Agricultura situam-se todos no distrito de Vila Real e vão beneficiar 1.630 hectares, num investimento superior a 4,7 milhões de euros.

Foram aprovados pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural mais 37 projetos de reabilitação de regadios tradicionais.

Estes projetos situam-se todos no distrito de Vila Real, que vão beneficiar mais de 1.630 hectares, com um investimento público superior a 4,7 milhões de euros.

Trata-se de regadios integrados nos concelhos de Boticas, Chaves, Montalegre, Murça, Ribeira de Pena, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real, que vão beneficiar 1.700 agricultores.

“Estes projetos de recuperação complementam o Programa Nacional de Regadios, que prevê um investimento global de 560 milhões de euros na criação e na reabilitação de mais cerca de 100 mil hectares de regadio até 2023, que vão gerar 10.500 postos de trabalho permanentes”, destaca um comunicado do Ministério da Agricultura.
Capoulas Santos congratula-se com a aprovação destes projetos, considerando-os “uma aposta do Governo num pilar fundamental para o desenvolvimento da região”, lembrando que se trata de “um instrumento essencial para a fixação das populações e para o apoio à agricultura familiar”.

Segundo o referido comunicado do Ministério da Agricultura, “estes regadios fazem parte de um projeto mais amplo de valorização dos territórios e da atividade agrícola”, sublinhando o ministro da Agricultura que esta iniciativa vai tornar esta atividade “mais produtiva e mais competitiva, nomeadamente através do uso mais eficiente da água”, uma vez que, no seu entender, “a sustentabilidade da atividade agrícola é também uma prioridade”.

Capoulas Santos acrescenta ainda a necessidade de adaptação da agricultura portuguesa às alterações climáticas e de contribuir para os objetivos do Governo relativamente à estratégia de descarbonização, neste momento em discussão pública, considerando “urgente promover o uso eficiente do recurso água e a constituição de reservas para enfrentar tempos de escassez decorrentes das alterações climáticas”.

Comente este artigo
Anterior El lío institucional de la UE, el dinero de la PAC, el marco financiero 2021-27 y el Brexit
Próximo Governo aprova 37 projetos de regadio em Vila Real

Artigos relacionados

Comunicados

Glifosato – Licença renovada por cinco anos

A União Europeia decidiu, ao início da tarde de hoje, a renovação da licença para a utilização do glifosato na agricultura do espaço comunitário por cinco anos, com o voto positivo de 18 estados membros, e nove votos contra. Portugal manteve a abstenção.

Últimas

Bugalhos: Histórias de paixão, lutas e especulação

O ciclo “Biodiversidade à Nossa Volta” regressa no próximo dia 15 de setembro, entre as 10h e as 11h30, com o passeio “Bugalhos: Histórias de paixão, lutas e especulação”.
A iniciativa é organizada pela Cátedra UNESCO em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável e Centre for Functional Ecology (CFE) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), […]