Governo apresenta plano de recuperação florestal para Mação, Sertã e Vila de Rei

Governo apresenta plano de recuperação florestal para Mação, Sertã e Vila de Rei

[Fonte: MAFDR] O Governo criou já o grupo de trabalho que vai elaborar o plano integrado de transformação territorial para os concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei, recentemente afetadas por grandes incêndios. O objetivo deste Plano é recuperar a área ardida e ativar a gestão agroflorestal. Trata-se de uma iniciativa conjunta das áreas governamentais  da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Adjunto e da Economia, do Planeamento e do Ambiente e Transição Energética.

O grupo de trabalho, coordenado pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, inclui representantes das áreas governamentais envolvidas, da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais, dos três municípios, da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, das organizações de produtores agrícolas e florestais dos concelhos afetados e da Associação de Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul. O Plano deverá ser apresentado até 30 de abril de 2020, ficando o grupo de trabalho responsável pelo acompanhamento da sua execução.

O despacho identifica a metodologia a aplicar, indicando que este plano deverá ter por base «o reforço da aplicação dos programas de política agrícola, florestal, ambiental e de desenvolvimento regional, quer no quadro das medidas atualmente existentes, quer na perspetiva dos novos instrumentos de política pós-2020». Por outro lado, o acompanhamento e dinamização da execução deste plano integrado de transformação territorial «deverá ter como perspetiva um novo modelo de ordenamento da paisagem e a adoção de ferramentas de gestão agroflorestal inovadoras, que permitam ganhos de escala, mobilizando os agentes com capacidade de intervenção no território e incentivando sistemas de produção biodiversos, resilientes, viáveis e sustentáveis do ponto de vista socioeconómico».

O Governo considera ser necessário definir novas estratégias adaptadas às regiões florestais de baixa densidade, no âmbito do Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia pós-2020, tendo em vista a ativação socioeconómica destes territórios e o aumento da sua resistência e resiliência aos incêndios rurais. O estabelecimento deste plano integrado de transformação territorial é uma dessas estratégias. Em causa está a recuperação do território dos concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei, que já em 2017 foram também percorridos por grandes incêndios, razão pela qual foram integrados no Programa de Revitalização do Pinhal Interior.

Comente este artigo
Anterior Confagri organiza seminário sobre PAC pós-2020 na Agrival
Próximo Governo lança plano de recuperação florestal de Mação, Sertã e Vila de Rei

Artigos relacionados

Internacional

Coto a las ayudas PAC: Más de la mitad no tienen al menos el 25% de ingresos agrarios sobre sus totales

La Unión de Campesinos de Castilla y León ve en esta nueva PAC, una gran oportunidad para conseguir un reparto más justo de las ayudas, […]

Últimas

Americano que previu tragédia arrasa combate aos incêndios

Autor de relatório sobre fogos em Portugal acusa os bombeiros de não saberem apagar fogos ou fazer rescaldo em condições.

O especialista americano que em 2009 previu que Portugal poderia vir a ter fogos de grandes dimensões, como os que queimaram mais de 500 mil hectares de floresta no ano passado, voltou esta sexta-feira a Lisboa para um novo diagnóstico […]

Sugeridas

IFAP: Pagamentos maio 2019

No dia 31 de maio 2019, o IFAP procedeu a pagamentos* num montante total de cerca de 35,4 milhões de euros, dos quais se destacam os seguintes […]