Governo afirma que gestão de Espanha do caudal do Tejo “não é aceitável”

Governo afirma que gestão de Espanha do caudal do Tejo “não é aceitável”

O Governo considera que a gestão que Espanha fez durante o ano hidrológico 2018/2019 para lançar o regime de caudais anuais para o rio Tejo “não é aceitável”, noticia hoje o jornal Público.

O ano hidrológico 2018/2019 terminou em setembro e Espanha libertou uma média de 14 milhões de metros cúbicos de água diários da barragem de Cedilho, durante o mês de setembro, para que Espanha cumprisse o volume anual integral estabelecido na Convenção de Albufeira, refere o jornal.

“Portugal já referiu de forma clara a Espanha que vai reforçar a sua atitude na próxima reunião plenária da CADC (Comissão para a Aplicação e o Desenvolvimento da Convenção de Albufeira) propondo o incremento de mecanismos de controlo que permitam evitar no futuro situações desta natureza”, afirmou o MAAC citado pelo Público.

O Ministério do Ambiente e Ação Climática (MAAC), refere o jornal, afirma que “nunca se tinha atingido uma situação em que o diferencial do escoamento acumulado em junho para o integral tivesse uma diferença tão significativa, mesmo nos anos em que se verificaram condições de exceção”.

As consequências económicas, ambientais e sociais refletem-se num cenário “dramático” e o Governo português nunca recebeu explicações de Espanha, adianta o jornal.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24 .

Anterior Zero critica falta de planeamento sobre ocupação do Perímetro de Rega do Mira
Próximo António Costa junta-se aos “Amigos da Coesão” para rejeitar cortes nos fundos comunitários

Artigos relacionados

Nacional

Governo dos Açores vai lançar para consulta programa “Jovem Agricultor”

O Governo dos Açores vai lançar para consulta dos parceiros sociais, na próxima semana, o programa “Jovem Agricultor”, com o intuito de recolher contributos para aperfeiçoar este novo mecanismo de rejuvenescimento do setor agrícola regional. […]

Últimas

Região desafiada a candidatar Agricultura dos Açores à Unesco

Açoriano Oriental destaca a notícia de que a Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação aconselha os Açores a dar visibilidade ao seu modo de produção diferenciado

A queixa apresentada pelo Sindicato Democrático dos Professores dos Açores na Comissão Europeia por considerar que a Região está […]

Últimas

Portugal com menos 8.719 hectares de área ardida do que em 2018

[Fonte: O Jornal Económico]

Os incêndios deste ano consumiram, até ao fim de agosto, 28.205 hectares, […]