Furacão Lorenzo – Açores – 3

Furacão Lorenzo – Açores – 3

-> 3ª actualização

**SITUAÇÃO DE RISCO EXTREMO**

O Furacão Lorenzo é neste momento um ciclone de categoria 4 posicionado a noroeste de Cabo verde.

As previsões apontam para que o furacão se desloque pelo Atlântico central durante as próximas 96h, curvando em seguida para nordeste em direcção aos Açores.

As condições são perfeitas para que o ciclone se mantenha particularmente violento, dadas as águas quentes presentes no seu percurso e condições de fluxo atmosférico favoráveis. Esperamos assim que  o ciclone  mantenha cat 4 durante as próximas 72h, enfraquecendo lentamente ao se aproximar dos Açores devido às temperaturas oceânicas mais baixas.

O ciclone deverá começar a enfraquecer antes de chegar aos Açores, mas esperamos  forte interacção construtiva com uma ondulação do jato polar associada a uma perturbação que vai sair do Canadá. Este cenário é apontado pela generalidade dos modelos, mas ainda há incertezas.

Isto significa que o sistema vai passar por um processo de transição extratropical que vai resultar na manutenção de boa parte da sua intensidade, com a agravante expansão do seu campo de ventos e raio de acção.

Esperamos que Açores sejam afectados pelo furacão entre dias 1 e 3 de Outubro, com intensidade em torno a cat 2.

A generalidade dos modelos coloca o ciclone a passar entre o grupo ocidental e o grupo central, com alguns ( poucos )  cenários a deslocar o ciclone mais para leste sobe o grupo oriental.

Estes cenários são menos prováveis e assumem uma menor interacção entre o ciclone e a perturbação em altitude, resultando numa interacção destrutiva entre ambos que iria enfraquecer de forma drástica o Lorenzo, empurrando-o para leste.

Os principais riscos serão:
– Ventos destrutivos.
– Precipitação excessiva e persistente.
– Ondulação extremamente significativa.
– Maré de tempestade conjugada com ciclo de marés vivas. Risco extremo de erosão costeira.

No continente e Madeira esperamos condições de bom tempo, mas teremos um aumento significativo da ondulação na costa ocidental, resultante da passagem do ciclone nos Açores.

O artigo foi publicado originalmente em BestWeather.

Veja a previsão do tempo e a melhor altura para pulverizar na nossa página de Meteorologia powered by Syngenta.

Comente este artigo
Anterior "Para aumentar a produção, as verbas do POSEI têm de ser reforçadas"
Próximo AlgaEnergy participou no III Congresso sobre Fertilização, em Madrid

Artigos relacionados

Últimas

Syngenta reforça portfólio de soluções Pós-Colheita

A Syngenta está a realizar um investimento importante no reforço do seu portfólio com novas soluções fungicidas para controlo das doenças de conservação em fruta e legumes. […]

Últimas

Koppert apresenta soluções de controlo biológico em canábis medicinal a especialistas internacionais

A Koppert Biological Systems estará presente no congresso ‘Cannabis Business Iberia’ […]

Últimas

Rádios locais “a bater mato” atrás dos incêndios

Neste P24, viramos a atenção para a primeira linha de informação das populações quando há incêndios: as rádios locais. 

Logo após um directo, […]