Fundos comunitários. Empresário em greve de fome face ao Palácio de Belém

Fundos comunitários. Empresário em greve de fome face ao Palácio de Belém

Numa altura em que Portugal se prepara para receber a bazuca de quase 14 mil milhões, há um português que está há 12 dias em greve de fome, em protesto contra a burocracia e lentidão de resposta do Estado que o privou de receber fundos comunitários aos quais garante que tinha direito.

A tragédia de Luís Dias e da sócia foi provocada pelos temporais de 2017 e 2018. Nunca conseguiram receber os fundos europeus para reabilitar a quinta de amoras que têm em Idanha-a-Nova. Hoje têm os bens penhorados.

O empresário garante que só sairá do Palácio de Belém quando tiver uma solução.

O artigo foi publicado originalmente em RTP.

Comente este artigo
Anterior As misérias da agricultura também são culpa sua, caro leitor - Pedro Garcias
Próximo Las buenas previsiones de California presiona a la almendra

Artigos relacionados

Últimas

Covid-19: China volta a detetar vírus em alimentos importados do Brasil

Uma análise realizada em Wuhan a uma embalagem com carne congelada importada do Brasil deu positivo para o novo coronavírus, informou hoje a Comissão de Saúde daquela cidade chinesa, […]

Últimas

Prevenção contra a Peste Suína Africana

A DGAV organiza no próximo dia 20 de Novembro o Seminário “Prevenção contra a Peste Suína Africana – Abordagem Luso Espanhola”, […]

Últimas

Castro Marim recebe formação de manobrador de máquinas agrícolas e florestais

Imprimir
Por • 21 de Maio de 2017 – 9:27

Uma ação de formação de manobrador de máquinas agrícolas e florestais está […]