Fundo Ambiental disponibiliza 350 mil euros para centros de recuperação de fauna

Fundo Ambiental disponibiliza 350 mil euros para centros de recuperação de fauna

No final da assinatura dos contratos, em Castelo Branco, o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino, referiu que «o Estado estava em falta para com estas organizações e pelo excelente trabalho que têm feito».

«Tendo um instrumento como o Fundo Ambiental, estamos em condições de apoiar, de uma forma diferente» estas organizações «até porque as exigências são cada vez maiores nesta área», explicou João Paulo Catarino.

Para o Secretário de Estado, a melhor forma de ajudar estas organizações é «em parceria», uma vez que são elas «que estão no terreno e que o conseguem fazer  o trabalho de forma mais eficiente e rápida do que muitas vezes a Administração Central, com todas as dificuldades que tem».

João Paulo Catarino disse ainda que a assinatura dos protocolos é também um reconhecimento público do Governo pelo trabalho que estas organizações têm desenvolvido, apesar de reconhecer que o «dinheiro não é muito» mas que, ainda assim, «é um contributo».

«Este é o primeiro aviso e certamente que não será o último. É um sinal deste Governo e da Secretaria de Estado para uma parceria que queremos que seja justa», concluiu.

O Fundo Ambiental é um instrumento financeiro que foi criado em 2016 e está ao serviço da política ambiental, financiando atividades e projetos, sendo que em 2019 estabeleceu 79 protocolos e lançou 20 avisos.

A assinatura dos nove protocolos decorreu na Secretaria de Estado da Conservação da Natureza, Florestas e Ordenamento do Território e envolveu a associação ambientalista Quercus, as Câmaras Municipais de Lisboa e de Vila Nova de Gaia, a associação ALDEIA, a Sociedade Portuguesa de Vida Selvagem e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

A dotação máxima deste aviso é de 400 mil euros, sendo a taxa máxima de cofinanciamento de até 95%, com financiamento limitado a 40 mil euros por projeto.

O artigo foi publicado originalmente em MAAC.

Comente este artigo
Anterior Altice Portugal apoia setor do azeite
Próximo Nuno Russo sublinha a importância das posições conjuntas em prol da defesa da produção e da saúde animal e vegetal

Artigos relacionados

Nacional

Para assinalar o Dia Mundial do Leite 2019 há 50 crianças que vão conhecer uma vacaria

O dia mundial do leite é comemorado a 1 de junho. A data foi escolhida em 2001 pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU), […]

Nacional

A Madeira vai pôr robôs a detectar incêndios na floresta

A Madeira está a desenvolver um sistema de detecção de incêndios florestais, pioneiro em Portugal, que assenta numa rede de robôs totalmente automatizados, […]

Sugeridas

Café dos Açores é uma “cultura com grande interesse comercial”

A área de produção de café nos Açores registou nos últimos quatro anos um crescimento de 40%. Um dos segredos mais bem guardados da região, e o […]