Fundão: Queijarias da Soalheira reivindicam regadio na visita dos Vereadores do PS

Fundão: Queijarias da Soalheira reivindicam regadio na visita dos Vereadores do PS

Na passada segunda-feira, dia 14 de Setembro, os vereadores da Câmara Municipal do Fundão eleitos pelo Partido Socialista (PS), Joana Bento e Sérgio Mendes, deslocaram-se ao Parque Industrial da Gardunha Sul, na freguesia da Soalheira, para uma visita às unidades agroalimentares que ali se situam.

Segundo a informação enviada ao Diário Digital Castelo Branco, a SoalheiraAlves e na Joaquim Duarte Alves – Queijaria Tradicional da Soalheira, reafirmaram a necessidade do regadio a sul da Gardunha, projeto pelo qual se têm batido localmente e junto do Governo.

Os gerentes de ambas as empresas lamentaram a falta de pressão da água existente, a qual cria constrangimentos de vária ordem na produção de queijo, tendo sido pedida uma solução rápida e concreta. A entrada e a organização do parque industrial foram também abordados. Foi sugerida a criação de um acesso condigno e o loteamento deste espaço, que sobrevive única e exclusivamente à base destas duas unidades que empregam cerca de 30 colaboradores, Por outro lado, alertaram para a dificuldade em atrair falta de mão-de-obra jovem para um setor que tende a crescer. No seu entender os jovens estão, erradamente, a ser quase exclusivamente direcionados para a área nas novas tecnologias de informação e para o setor terciário.

É um facto claro e inequívoco que a aposta no setor agroalimentar nesta zona do concelho, tão propagandeada pelo executivo municipal um pouco antes das eleições de 2013, se traduziu numa mão cheia de nada. A obra existente é fruto da coragem e resiliência dos dois empresários. Os mesmos recusaram seguir o exemplo de outros empresários que se deslocalizaram para concelhos onde lhes foram garantidas melhores condições, tais como um permanente acompanhamento e investimento.

Por conseguinte, vêm os vereadores do PS denunciar a situação com que se confrontam estes empresários, pedindo nada mais que o diálogo rápido e expedito entre o poder decisório e os empreendedores para que as suas ânsias sejam correspondidas e as mais variadas falhas infraestruturais do parque possam ser corrigidas com brevidade.

O artigo foi publicado originalmente em Diário Digital Castelo Branco.

Comente este artigo
Anterior Principais indicadores resultantes da aplicação do Regime Jurídico da pinha de pinheiro-manso
Próximo Novos apoios para concluir cadastro até 2023

Artigos relacionados

Últimas

Concurso de Azeite Virgem de Trás-os-Montes e Alto Douro: Divulgação de Resultados

Realizou-se nos passados dia 8 e 9 de Julho nas instalações da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança, o Concurso de Azeite […]

Nacional

João Ponte: produções agrícolas tradicionais estão a crescer nos Açores

O secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, afirmou hoje, 26 de Julho, que as produções agrícolas tradicionais nos Açores estão em franco crescimento, […]

Eventos

AgroIN: Agricultores debatem inovação, tecnologia e novos hábitos de consumo que estão a moldar o mercado alimentar – 10 de abril – Lisboa

[Fonte: Vida Rural]

Economia circular, floresta conectada, insetos na alimentação e modas nutricionais são alguns dos temas do AgroIN, […]