Fruut reduz 25% de plástico nas suas embalagens

Fruut reduz 25% de plástico nas suas embalagens

A Fruut chega ao mercado com uma nova embalagem, agora num formato mais reduzido e mais amiga do ambiente, com menos 25% de plástico na sua produção, o que contribui ainda para uma redução significativa do cartão utilizado no transporte, já que em cada uma das caixas é possível colocar mais embalagens. Estas medidas espelham a preocupação da marca portuguesa para a problemática do meio ambiente e da sua sustentabilidade.

«Quando idealizámos a Fruut, definimos a missão de contribuir para a melhoria dos hábitos alimentares e para um mundo mais sustentável. Reconhecemos que temos de fazer sempre mais e melhor e que o plástico representa uma ameaça para o nosso Planeta. Para isso, desenvolvemos um projecto interno no sentido de diminuirmos o impacto das embalagens no ambiente, reduzindo de imediato 25% de plástico em cada embalagem e projectando a médio prazo outras soluções que permitam a eliminação do plástico no nosso packaging», explica Filipe Simões, director executivo da Frueat, empresa que detém a Fruut.

Mas as mudanças não ficam por aqui. As embalagens Fruut também sofreram um rebranding e a principal preocupação foi a de criar uma imagem mais apelativa, contemporânea, jovem e com cores vibrantes que captassem a atenção do consumidor. Por outro lado, é com a nova imagem – que apresenta um design focado no produto – que a marca portuguesa quer conquistar novos mercados internacionais. Por isso, estão presentes oito línguas na embalagem.

«Sentimos necessidade de optimizar a embalagem e torná-la passível de estar nos lineares de países estrategicamente seleccionados. Actualmente, as embalagens Fruut têm oito línguas, o que nos dá confiança e força para abordar os mercados definidos como prioritários», acrescenta o responsável pela empresa.

A par desta mudança, a Fruut aproveitou ainda para lançar um novo sabor – Coco – e surpreender os consumidores com dois mix com frutos secos – cubos de maçã e amendoim e cubos de maçã, coco e amêndoa.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores .

Anterior O mundo precisa de cem milhões de campos de futebol para a agricultura
Próximo Jornadas formativas sobre sanidad animal, PAC e industria alimentaria en Madrid

Artigos relacionados

Últimas

Encontro Nacional de Produtores de Mirtilos reuniu produtores de todo o país

O Encontro Nacional de Produtores de Mirtilos, na sua 9ª edição realizou na cidade da Guarda um ciclo de palestras que abordaram temáticas de acordo com a realidade de produção, […]

Últimas

Secretário da Agricultura dos Açores pede “reflexão com profundidade” sobre alterações climáticas

O secretário da Agricultura e Florestas dos Açores defendeu “uma reflexão com toda a profundidade e cuidado” sobre as alterações climáticas, […]

Nacional

Nuno Russo: Setor apícola está em forte dinâmica de crescimento e profissionalização

[Fonte: Governo] O forte crescimento do setor apícola foi destacado pelo Secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, […]