Fruta Feia celebra 5.º aniversário e evita mais de 1.300 toneladas de desperdício

Fruta Feia celebra 5.º aniversário e evita mais de 1.300 toneladas de desperdício

São já 187 os produtores/agricultores de todo o género de fruta e legumes que fornecem a Fruta Feia, um projeto que nasceu da necessidade de inverter as tendências de normalização de frutas e legumes, relativamente a formato, cor e calibre, ou seja, exigências estéticas que fazem com que muita fruta seja recusada, logo não vendida, levando a um desperdício de cerca de 30% do que é produzido pelos agricultores.

Daí que o principal objetivo da Fruta Feia seja “reduzir as toneladas de alimentos de qualidade que são devolvidos à terra todos os anos pelos agricultores e com isso evitar também o gasto desnecessário dos recursos usados na sua produção, como a água, as terras cultiváveis, a energia e o tempo de trabalho”, define o projeto no seu site.

Recorde-se que mais de um terço dos frutos e legumes produzidos na Europa não chegam a ser comercializados por razões estéticas, de acordo com um estudo da Universidade de Edimburgo, publicado recentemente no Journal of Cleaner Production. Mais acrescenta o estudo que cerca de 50 milhões de toneladas de frutos e vegetais produzidos na Europa não chegam às prateleiras dos supermercados, porque não correspondem às exigências.

Com o lema “Gente bonita come fruta feia”, este projeto surgiu em 2013, portanto acaba de assinalar o seu 5.º aniversário, assente num modelo de Cooperativa de Consumo sem fins lucrativos, uma vez que todo o lucro alcançado é “direcionado ao crescimento do projeto e cada membro é parte integrante deste.”

Atualmente com 11 delegações, a Fruta Feia abastece 5.166 consumidores particulares ou associações, cafés, restaurantes, tendo evitado, até ao momento, o desperdício de 1.327 toneladas. Mas a Fruta Feia quer expandir-se e ir além da sua área atual que compreende as áreas de Lisboa, Almada, Amadora, Cascais, Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos. Para tal, tem estabelecido parcerias com quem acredita no projeto que é mesmo que dizer “quem feio ama, bonito lhe parece”.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Anipla - fitotema.

Anterior Previsiones negativas para el turismo rural en el puente de diciembre: descienden las reservas un 38.06%
Próximo Inquérito sobre populações de veado e javali

Artigos relacionados

Últimas

CDS-PP propõe apoios aos agricultores para atenuar efeitos da seca

A falta de chuva e as temperaturas elevadas em Abril fizeram aumentar o índice de seca em Portugal continental

A criação de uma linha de crédito e a isenção da taxa de recursos hídricos são duas das medidas que o CDS-PP propõe para minimizar o impacto da seca na agricultura. […]

Nacional

Produção de cereja pode chegar às 19 mil toneladas. Crescimento de 10%

A produção global de cereja deverá situar-se em redor das 19 mil toneladas (10% acima da campanha anterior), sem registo de dificuldades de comercialização. […]

Últimas

Workshop Bem-Estar Animal em Bovinos e Pequenos Ruminantes – 31 de janeiro – Santarém

No próximo dia 31 de Janeiro pelas 15h30 na Quinta da Fonte Boa no Vale de Santarém irá decorrer um workshop de bem-estar animal em bovinos […]