Frusoal quer valorizar o sabor dos citrinos do Algarve com duas marcas novas

Frusoal quer valorizar o sabor dos citrinos do Algarve com duas marcas novas

A organização de produtores Frusoal lançou hoje, 6 de Fevereiro, no primeiro dia da Fruit Logistica – feira internacional que tem lugar até 8 de Fevereiro, em Berlim, na Alemanha –, duas novas marcas próprias para os citrinos do Algarve que produz. Segundo um comunicado da empresa, a marca Gomo é destinada aos citrinos de categoria superior premium e a marca Biogomo será para comercializar laranjas produzidas em modo biológico.

Estas duas insígnias surgem «com o foco na internacionalização», sendo que a Frusoal já exporta cerca de 25% da fruta que comercializa. «Espanha, França, Alemanha, Reino Unido, Suíça e Polónia são os mercados prioritários da organização, que está também a desbravar novas geografias, como Noruega e Suécia.»

Neste âmbito, «o lançamento das duas marcas tem como objectivo reforçar as exportações da Frusoal e valorizar o sabor dos Citrinos do Algarve, nomeadamente as laranjas de calibres superiores, assim como as de produção biológica – incluindo aquelas com classificação IGP (Indicação Geográfica Protegida)», explica a empresa. O comunicado refere que «estes citrinos são produzidos em mais de uma dezena de concelhos da região algarvia» e que são conhecidos «pela sua casca fina e intensamente colorida e brilhante, mas sobretudo pelo elevado teor em sumo de sabor muito doce».

Pedro Madeira, sócio-gerente da Frusoal, assinala que a empresa está presente «em mercados próximos do Centro da Europa, o que, dada a sua proximidade, nos permite trabalhar com frutas mais maduras e, por isso, com mais sabor». No comunicado, também é indicado que a Frusoal – com perto de 100 produtores associados – «sentia que ainda não havia uma marca distintiva que identificasse os gomos mais doces dos citrinos algarvios, tanto no mercado doméstico como além-fronteiras».

Biogomo_Frusoal1

Para Pedro Madeira, «o lançamento destas marcas comerciais permite não só gerar valor acrescentado para os nossos produtos e associados, como também cria maior notoriedade para a produção nacional, que assim ganha diferenciação e maior capacidade de negociação, tanto no mercado português como nas geografias de exportação». As duas marcas – em cujo lançamento esteve presente Luís Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural – «remetem para a doçura e sabor intensos dos citrinos algarvios», assumindo a declaração “Sabor, gomo a gomo” – Flavour, in every pice, em inglês; Saveur, quartier à quartier, em francês.

A Frusoal tem em marcha um plano de internacionalização «para reforçar o peso das suas vendas no exterior», cofinanciado pelo Programa Operacional Cresc Algarve 2020, com um montante de investimento elegível global de 259.552,50 euros, dos quais 45% são oriundos do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (Feder). O sócio-gerente da Frusoal afirma que esperam, «em 2020, alcançar um volume de negócios de 25 milhões de euros», e que «o reforço da presença nos mercados, com produtos de qualidade superior e de valor acrescentado, é crucial para atingir este objectivo».

Outra das prioridades da empresa é a aposta nos citrinos biológicos, «para ir ao encontro das tendências de consumo». A Frusoal está actualmente a alargar a área de produção em modo biológico.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Anterior Governo anula há dois meses incentivos às empresas para limpar projetos parados
Próximo Vasco Cordeiro diz ser ”inevitável” entendimento entre parceiros do leite nos Açores

Artigos relacionados

Dossiers

Oferta de emprego – Técnico Comercial – Engenheiro Agrónomo – Águeda

Zeocel admite técnico comercial para venda de produtos agrícolas. Damos preferência a engenheiros agrónomos com experiência na área comercial […]

Nacional

Corticeira Amorim incentiva plantação de 50 mil hectares de sobreiros na próxima década

A corticeira acredita que com um aumento de 7% da área atual dos sobreiros em Portugal será […]

Nacional

Carta aberta ao primeiro-ministro de Portugal

[Fonte: Público]
 
Não posso deixar de sentir um peso particular pela tragédia que ocorreu no incêndio de Pedrógão Grande. […]