Flowr anuncia o envio de clones de canábis para a Holigen em Portugal

Flowr anuncia o envio de clones de canábis para a Holigen em Portugal

A The Flowr Corporation (TSXV: FLWR; OTC: FLWPF) (“Flowr” ou a “Sociedade”) anuncia que a Holigen Holdings Limited (“Holigen”), cuja empresa a Flowr está no processo de adquirir a restante participação de 80,2 %, recebeu, por intermédio da subsidiária RPK Biopharma, Unipessoal Lda., autorização do INFARMED para plantar canábis no projeto de Aljustrel, em Portugal. Além disso, a Flowr também recebeu uma licença de exportação da instituição Health Canada, que lhe permite enviar uma remessa inicial de clones de canábis para Portugal a partir do seu campo Kelowna.

“A autorização do INFARMED para plantar canábis em Aljustrel é um marco importante no desenvolvimento deste projeto, que é um pilar nos nossos esforços para servir o mercado mundial de canábis medicinal. Aljustrel é uma das maiores licenças de cultivo exterior de THC no mundo desenvolvido e será instrumental no fornecimento em larga escala e a baixo custo de extrato de canábis para ingredientes farmacêuticos ativos (API) e óleos no mercado europeu” comentou Vinay Tolia, CEO da Flowr. “Os meus parabéns à equipa da Holigen por conduzir este projeto até esta fase de uma maneira tão eficiente. É uma prova da sua competência em processos de licenciamento, que nos deixa muito entusiasmados para contribuir com os nossos conhecimentos de cultivo nesta oportunidade impressionante”.

Aljustrel é um uma das duas instalações em desenvolvimento pela Holigen para produção, extração e fabrico de canábis em Portugal. Tendo sido designado como um Projeto de Interesse Nacional (PIN) pelo governo português, esta designação permite mover rapidamente o projeto entre processos regulamentares de licenciamento, bem como potencia o acesso ao financiamento. O plano consiste em construir e operar um local de cultivo de canábis na propriedade com mais de 650.000 m2 e com uma capacidade potencial anual combinada de flores secas de canábis de aproximadamente 500.000 quilogramas. Além das operações de cultivo, prevê-se que Aljustrel inclua instalações de processamento e fabrico construídas segundo as especificações de Boas Práticas de Fabrico (GMP), que deverão apoiar planos de distribuição de produtos medicinais e API em mercados na Europa, Austrália e Ásia. A Holigen encontra-se na fase final de receber todas as licenças necessárias para operar em Aljustrel.

Comente este artigo
Anterior Vigilantes da natureza. "O nosso sonho é ter um corpo nacional com efetivos suficientes"
Próximo Projeto de plantação de canábis no Alentejo recebe autorização do Infarmed

Artigos relacionados

Nacional

Alcácer do Sal: se não chove, as barragens não enchem e quem paga a fatura da água mais cara são os produtores de arroz

Os produtores de arroz são os mais afetados pela falta de água nas barragens de Vale de Gaio e Pego do Altar, […]

Últimas

Agricultura – Novo Ciclo Mais Exigente

Conhecida a composição do novo Governo, a CONFAGRI saúda todos os seus titulares e muito especialmente a Ministra da Agricultura […]

Dossiers

Governo apresenta plano de recuperação florestal para Mação, Sertã e Vila de Rei

O Governo criou já o grupo de trabalho que vai elaborar o plano integrado de transformação territorial para os concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei, recentemente afetadas por grandes incêndios. […]