Brexit: FIPA aplaude acordo, mas alerta para fragilidade e reflexos na cadeia agroalimentar

Brexit: FIPA aplaude acordo, mas alerta para fragilidade e reflexos na cadeia agroalimentar

A FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares aplaude a aplicação do Acordo de Comércio e Cooperação ente a União Europeia e o Reino Unido, que entrará em vigor a 1 de janeiro, mas alerta sobre a fragilidade da sua implementação prática e reflexos na operação da cadeia agroalimentar.

Depois de sucessivos atrasos nas negociações, a federação defende que é essencial que as autoridades da UE e do Reino Unido ajam agora de forma célere para que, já nesta primeira fase, seja garantida a circulação de bens nas fronteiras e não se verifiquem bloqueios.

A FIPA defende ainda que a Comissão Europeia ative protocolos de gestão de crises, devendo incluir comunicações diretas com os operadores da cadeia agroalimentar, para identificar e resolver questões fronteiriças que possam surgir nos próximos meses. Um dos casos que pode ser tomado como positivo é o exemplo das green lanes aplicadas em plena pandemia COVID-19.

Em linha com as necessidades apontadas igualmente pela confederação europeia FoodDrinkEurope, a FIPA sublinha que se exigem esforços máximos de interação entre as autoridades nacionais e o Reino Unido, para que possam ser implementadas e cumpridas as novas medidas não só aduaneiras, mas também sanitárias e fitossanitárias como, por exemplo, as diferentes regras de rotulagem de produtos alimentares.

“Este acordo é, de modo geral e teoricamente, positivo, uma vez que vem impedir a aplicação de tarifas excessivas nas transações do setor agroalimentar. No entanto, receamos que as dúvidas que surgirão da sua aplicação possam ser um entrave na evolução do setor. É essencial a máxima atenção do Governo português neste processo, sobretudo quando o setor tem vindo a ter nas exportações uma âncora nestes últimos meses”, explica Pedro Queiroz, Diretor-Geral da FIPA.

Só em 2019, o mercado do Reino Unido representou para Portugal cerca 274 milhões de euros em exportações de alimentos e bebidas e perto de 160 milhões de euros em importações, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística analisados pela FIPA.

Comente este artigo
Anterior Pagamentos ao setor agrícola atingem perto de 1600 milhões de euros em 2020
Próximo ANPC congratula Ministro do Ambiente por valorizar a caça

Artigos relacionados

Últimas

Live: Apresentação da Feira Nacional de Agricultura 2021 FNA21

Apresentação de tema, medidas de segurança e E-FNA. […]

Sugeridas

Medidas de combate à seca no setor agrícola

Foi declarada a situação de seca severa e extrema em determinados concelhos que permite aos produtores agrícolas promover adaptações […]

Nacional

Todo o país unido para tornar agricultura e florestas resilientes às alterações climáticas

Já foi formalmente constituído o Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Setor Agroflorestal (CNCACSA). Agricultores, investigadores e entidades da tutela unem-se em torno de uma estratégia comum para adaptar a agricultura e as florestas às alterações climáticas e mitigar os seus efeitos. […]