Finlândia assume presidência da UE. Quer acordo para a neutralidade carbónica em 2050

Finlândia assume presidência da UE. Quer acordo para a neutralidade carbónica em 2050

A Finlândia assume esta segunda-feira a presidência da União Europeia (UE) empenhada em fechar o acordo para a neutralidade carbónica em 2050 e reforçar o respeito pelo Estado de Direito, fazendo depender dele a atribuição de fundos.

Com o lema “Europa sustentável, futuro sustentável”, a presidência finlandesa quer nomeadamente fechar o acordo entre os 28 para definir 2050 como meta para a neutralidade carbónica, em linha com o que definem os Acordos de Paris.

A meta devia constar da Agenda Estratégica aprovada no Conselho Europeu de 20 e 21 de junho, mas, segundo fontes diplomáticas, a introdução da data foi vetada pelos países do chamado Grupo de Visegrado (Polónia, República Checa, Eslováquia e Hungria).

Na conferência de imprensa que deu na quarta-feira em Helsínquia, o primeiro-ministro finlandês, Anti Riine, não precisou como vai ser possível chegar a acordo, mas disse que “a minoria” de países que se opuseram à inclusão da data pretendem “saber como a neutralidade carbónica vai afetar as suas economias” e defendeu que a questão deve ser contemplada no orçamento da UE a longo prazo.

A presidência finlandesa propõe-se envolver a sociedade civil no combate a campanhas de desinformação e notícias falsas (‘fake news’) e aumentar a cooperação entre os Estados-membros e a UE.

Em matéria orçamental, a Finlândia mantém a sua oposição a um orçamento reforçado da zona euro que, segundo Anti Rinne, deve ser “mais pequeno que maior” e estar integrado no Quadro Financeiro Plurianual (QPF) para 2012-2027.

A presidência propõe-se fechar o acordo sobre o QFP até ao fim do ano, tendo a ministra dos Assuntos Europeus, Tytti Tuppurainen, anunciado que “dentro de algumas semanas” iniciará “conversações bilaterais com todos os países”, para chegar “a um quadro negocial em outubro e a um acordo no fim do ano”.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Combate aos incêndios. Só dois terços dos meios aéreos previstos estão operacionais
Próximo Herbicidas com desmedifame proibidos. Usados em beterraba sacarina

Artigos relacionados

Dossiers

Oferta de emprego – Enólogo – Alcácer do Sal

A Herdade da Comporta, empresa agrícola de 12500 ha no Distrito de Setúbal, está a recrutar profissional para a área de produção de vinhos da […]

Notícias apoios

Governo pondera crédito para produtores afetados pelo temporal no Centro e Norte

A ministra da Agricultura reconhece que ainda é cedo para decretar o estado de calamidade. […]

Nacional

Cantanhede: Homem morre em acidente com tractor na Tocha

Um homem de 79 anos morreu, hoje, na sequência de um acidente com um tractor agrícola, na freguesia da Tocha, em Cantanhede, confirmou o […]