“Fim da derrama terá  40% de impacto nas empresas do setor agrícola”

“Fim da derrama terá 40% de impacto nas empresas do setor agrícola”

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, revelou, esta quarta-feira, que com o fim da cobrança da derrama em 2020, esta medida terá 40% de impacto nas empresas do setor agrícola, o que representa um esforço municipal na valorização dos rendimentos dos agricultores do concelho.

O autarca que falava sessão de abertura do XIII Congresso Regional da Agricultura, evento organizado pela Federação Agrícola dos Açores que decorre no Auditório do Ramo Grande, na Praia da Vitória, manifestou-se confiante no futuro do setor e garantiu o apoio municipal ao progresso do setor.

“No Plano e Orçamento municipal para 2020 está previsto o fim da cobrança do imposto da derrama para as empresas com sede na Praia da Vitória. Esta medida tem um impacto direto no setor agrícola deste concelho, uma vez que as nossas previsões apontam para que esta medida de apoio fiscal tenha um impacto de cerca de 40% no setor agrícola”, disse citado em nota de imprensa.

Tibério Dinis frisa que “a eliminação deste imposto municipal é um contributo da Câmara Municipal para que as empresas agrícolas locais possam retirar melhor e mais rendimentos e consigam ficar com meios para a realização de melhor investimento, tendo este investimento efeito reprodutivo ao nível da criação de novos postos de trabalho”.

Agradecendo à Federação Agrícola dos Açores e à Associação Agrícola da Ilha Terceira a escolha da Praia da Vitória para a realização “de tão importante” evento para o setor, Tibério Dinis afirmou ser “uma honra para a Praia da Vitória receber o congresso do principal setor de atividade, gerador de emprego e da economia da Região”.

Lembrando que a Associação Agrícola da Ilha Terceira “é um parceiro estratégico” do município na organização de “muitas atividades que desenvolvemos em conjunto”, sendo “a joia da coroa as Jornadas Agrícolas da Praia da Vitória”, o presidente da autarquia garantiu que vai “continuar a trabalhar em parceria com o Governo Regional e com as associações de agricultores, pois o setor é fundamental para a nossa economia, porque independente da inovação, da criatividade e do crescimento de novos setores, precisamos sempre de um setor agrícola forte, porque marca a nossa dinâmica social e cultural, marca o ordenamento do nosso território, dá emprego e é o sustento de muitas e muitas famílias no concelho da Praia da Vitória”.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental .

Anterior Presidente da Federação Agrícola dos Açores reivindica reforço do POSEI
Próximo Acidentes com tratores fazem quatro mortos em cinco dias

Artigos relacionados

Internacional

Si se prorroga la PAC a 2021 debe ser con los mismos fondos, según el COPA-COGECA


Las principales organizaciones y las cooperativas agrarias de la UE, agrupadas en el COPA-COGECA, han reaccionado al proyecto de medidas transitorias de la PAC presentado por la Comisión Europea subrayando que si se prorrogan las medidas actuales a 2021 debe disponerse de la misma dotación presupuestaria, […]

Dossiers

Jovens Agricultores serão mais apoiados no novo Quadro Comunitário que entra em vigor a partir de 2020

[Fonte: Mensageiro de Bragança]
O novo Quadro Comunitário, que estará em vigor de 2020 a 2030, prevê um aumento dos incentivos para os Jovens Agricultores. […]

Sugeridas

Crédito Agrícola da Serra da Estrela e de Oliveira do Hospital apoiam produtores pecuários

As Caixas de Crédito Agrícola da Serra da Estrela e de Oliveira do Hospital vão doar 2 camiões de fardos de palha, […]