Festa da Castanha de Sernancelhe nasceu há 27 anos

[Fonte: Gazeta Rural]

A Festa da Castanha de Sernancelhe cumpre este ano 27 edições. É o evento mais antigo do Concelho, uma festa da tradição e da identidade, aliando cultura a economia, o saber ancestral às novas dinâmicas do setor agrícola, promovendo o Concelho como um espaço de referência na produção de castanha da variedade Martinha no nosso País.

Desde 1992 a Festa da Castanha tem conhecido uma evolução extraordinária, mas manteve sempre o objetivo inicial: ajudar a promover a castanha de Sernancelhe, ser uma montra para produtores e empresas, potenciar a venda daquele fruto e de todos os produtos da terra, impulsionar o artesanato, a cultura e as gentes de Sernancelhe.

27 anos depois o resultado é notável: Sernancelhe tem como marca diferenciadora a “Terra da Castanha” e a castanha é um fruto biológico com grande valor comercial, um motor da economia local e regional. A edição de 2019 da Festa da Castanha decorrerá nos dias 25, 26 e 27 de Outubro, contando com o patrocínio oficial do Crédito Agrícola e colaboração da TVI, com o programa “Juntos em Festa”, da Escola Profissional de Sernancelhe, da Associação Comercial e Industrial, da Confraria da Castanha e dos Bombeiros Voluntários de Sernancelhe.

No
fim-de-semana de 25, 26 e 27 de outubro, o Concelho celebrará, de novo, a
castanha, num evento que reúne, no Expo Salão, cerca de uma centena de expositores,
empresas do setor, bem como artesanato, gastronomia, restauração, animação,
passeios pedestres e BTT pelos soutos da Martaínha e pela Rota da Castanha e do
Castanheiro. Durante três dias, Sernancelhe homenageia a natureza, os seus
agricultores e enaltece a relação equilibrada, secular, do homem com o meio que
o rodeia.

A
Festa da Castanha pretende igualmente colocar em evidência a dinâmica do tecido
empresarial local que, também graças à castanha, conseguiu, nestas mais de duas
décadas e meia, transformar um produto subvalorizado num dos mais importantes
no mercado, atingindo preços elevados e muito compensadores para os
agricultores.

A castanha é responsável igualmente pela visibilidade que Sernancelhe e a região alcançaram, sendo o Concelho conhecido como a Terra da Castanha. Em torno deste fruto, cuja importância económica é inquestionável para as gentes de Sernancelhe, despoletou a prática desportiva de natureza, com o passeio equestre, o BTT pela Rota da Castanha e do Castanheiro, já na décima segunda edição, e que este ano contará com mais de um milhar de inscritos, uma oportunidade para dar a conhecer aos participantes as magníficas paisagens de soutos das encostas de Sernancelhe, bem como a gastronomia e a etnografia locais.

O mesmo sucede com os passeios pedestres pela Seara, a maior mancha de castanheiros da variedade Martaínha do nosso País, local que surpreende pela dimensão e idade secular dos castanheiros.

Durante
três dias, o Expo Salão preenche-se com as cores de outono, as cores da
castanha. Produtores e empresas, juntas de freguesia e restaurantes (que
proporcionarão uma mostra constante da gastronomia local associada à castanha),
grupos de concertinas e ranchos, crianças e jovens músicos, entre tantos
outros, mostrarão aos visitantes que a castanha é sinónimo de festa e motivo de
celebração por terras de Sernancelhe.

Os
produtos à base de castanha estarão em exposição e para comercialização, sendo
vasta a oferta de gastronomia de castanha, não faltando os concursos da melhor
castanha da Denominação de Origem Protegida Soutos da Lapa (DOP), e também do
melhor doce, iniciativa em crescendo e que demonstra o espaço que a castanha
conquistou na doçaria local e regional.

Aqui
ficam as nossas propostas para que visite Sernancelhe durante o fim-de-semana
de 25, 26 e 27 de outubro. Ao longo destes três dias, a Festa da Castanha é
motivo de animação, cultura, desporto, gastronomia, convívio e homenagem à
castanha.

O conteúdo Festa da Castanha de Sernancelhe nasceu há 27 anos aparece primeiro em GazetaRural.

Comente este artigo

O artigo Festa da Castanha de Sernancelhe nasceu há 27 anos foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior Espaço Visual com novos percursos intensivos
Próximo Agroalimentar nacional gerou 18 mil milhões de euros em volume de negócios

Artigos relacionados

Sugeridas

Empresas florestais defendem que sejam os contribuintes a pagar a limpeza de terrenos privados

[Fonte: O Jornal Económico]
Os proprietários dizem que não têm dinheiro para limpar os seus terrenos florestais, […]

Últimas

Ex-presidente dos Municípios Portugueses lamenta inexistência de cadastro rural

Viseu, 23 jun (Lusa) — O ex-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, lamentou hoje que ainda não exista um cadastro rural que permita conhecer o território e contribua para a prevenção de incêndios florestais. […]

Últimas

Adega da Vidigueira lança vinho “Cuba Terra Com Alma”

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

A Adega Cooperativa de Vidigueira, […]